Acreano é 3º lugar em Sul-Americano de Onroad, disputado na Argentina

frankie4Apaixonado por automodelos, o acreano Frankie Areal, funcionário público de 45 anos, ficou com a terceira colocação no Campeonato Sul-Americano de Automodelos Onroad, realizado na Argentina de 30 de outubro a 2 de novembro. O competidor participou na categoria GT, ao lado de mais três pilotos do Acre, incluindo seu filho de apenas 11 anos, Igor Areal, que manteve-se na segunda colocação por boa parte do trajeto, mas acabou tendo um problema no carro.

– Do Brasil, na categoria GT, foram somente três pilotos, todos do acre, incluindo meu filho de 11 anos, que participou do Sul-Americano no ano passado, em Americana (SP), e ficou em 10º lugar. Este ano, ele estava na segunda colocação e o carro deu problema – conta.

O terceiro lugar no Sul-Americano é a melhor colocação de Frankie em uma disputa da modalidade. Porém, a dupla de pai e filho já participou de outros campeonatos, como a 7ª Copa Del Pacífico, realizada em fevereiro, na cidade de Lima, no Peru. No entanto, por problemas nos carros, não conseguiram chegar às finais.

– É uma corrida de carros igual a qualquer outra. Se classificam 12 carros para final que é disputada em 45 minutos de prova, com abastecimento de combustível e troca de pneus se necessário. Quem chegar na frente ganha – explica.

Frankie compete na modalidade há três anos. Anteriormente, tinha como hobby a prática do aeromodelismo, mas seu filho não gostava dos aviões e preferia carros. Para poder compartilhar os momentos de lazer ao lado de Igor, decidiu comprar um automodelo e se apaixonou pelo esporte.

Sem patrocínio, o competidor é quem custeia tudo e destaca que o investimento em um carro completo com capacidade para vencer a competição é de R$ 2,5 mil a R$ 3,5 mil. Apesar do gasto, a dupla já se prepara para a disputa da 8ª Copa do Pacífico em Lima, no Peru, e em abril de 2015 um novo Sul-Americano, desta vez no Brasil.

– Vendo tudo relacionado a automodelo e só prático esse esporte. Comprei mais carros e agora sempre vamos nós dois para as competições.

Infelizmente, não temos patrocínio e os maiores custos são com as passagens. Gostaríamos de ter uma rotina de treinos antes das competições, mas não temos pista em Rio Branco. Recentemente, a Prefeitura Municipal de Rio Branco (PMRB) nos cedeu uma área no Centro de Esportes Radicais e estamos correndo atrás de asfaltar – conclui.

Fonte: GE

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA