Apae cria repelente à base de óleo de andiroba para combater a dengue

repelenteA população de Cruzeiro do Sul(AC), que vem sofrendo com a dengue desde fevereiro deste ano, ganhou um aliado no combate ao mosquito. Nesta quinta-feira (23), alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) lançaram um repelente à base de óleo de andiroba contra os transmissores da dengue e da malária. A Apae trabalha na fabricação do produto natural desde julho deste ano.

O óleo da semente de andiroba (árvore nativa da Amazônia) é a principal matéria prima utilizada para a fabricação do produto. O óleo possui um sabor amargo que, segundo Manoel Bezerra de Souza, de 66 anos, responsável por ministrar o curso para os estudantes, é o principal motivo para os mosquitos não se aproximarem das pessoas que usam o repelente.

“A matéria prima é tirar o óleo da semente da andiroba, que na região tem bastante. O óleo de andiroba é amargo, pode até mesmo ser usado puro no corpo sem as outras misturas. Isso é o principal motivo que faz os mosquitos ficarem longe”, explicou.

A técnica é utilizada por indígenas para afastar os mosquitos, eles quebram a semente e extraem o óleo. O método foi apenas aperfeiçoado pela Fundação de Tecnologia do Estado do Acre (Funtac), que elaborou a fórmula do repelente natural, utilizando além do óleo da andiroba na fabricação, também a glicerina, álcool de cereais e essência de eucalipto ou citronela. De acordo com Manoel Bezerra, o repelente pode ser produzido até mesmo em casa.

“Basta pegar esses produtos e misturar a quantidade certa e teremos o repelente pronto para afastar esses mosquitos. Eu aprendi essa fórmula na Funtac, e agora estou passando para os alunos na Apae e para os familiares que estão aprendendo”, afirma.

Segundo ele, a andiroba é reconhecida pelo Ministério da Saúde do Brasil como possuidora de propriedades fitoterápicas, sendo ainda um ótimo hidratante para a pele, antisséptico, anti-inflamatório e regenerador do tecido cutâneo.

Para o estudante André Ramon, de 24 anos, é uma grande alegria poder participar da oficina de qualificação profissional, mas ele lembra que além do repelente, a população tem que limpar suas residências para evitar a presença do mosquito.

Fonte: G1

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA