Boa Vista concentra mais de 70% do PIB de Roraima, diz IBGE

boa-vistaBoa Vista concentra 72,8% do Produto Interno Bruto (PIB) de Roraima, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados, divulgados na quinta-feira (11) pela Secretaria Estadual de Planejamento (Seplan), apontam que a capital representou R$ 5, 3 bilhões do PIB de R$ 6 bilhões que Roraima teve em 2012.

A concentração do PIB na capital se reflete nos setores econômicos, já que 78,8% da produção industrial esta alocada em Boa Vista; 73,9% do Setor de Serviços também se concentram na capital, assim como 64,5% do valor adicionado proveniente da Administração Pública. Já no setor primário, Boa Vista detém 13,7% da agropecuária, que apesar de ser relativamente inferior aos outros setores em relação ao valor adicionado, Boa Vista é o principal produtor agrícola do Estado.

Dentre os municípios do interior, Rorainópolis, localizado na Região Sul do estado, é o que apresenta o melhor desempenho econômico, com PIB de R$ 307 milhões. A economia, assim como todas as dos demais municípios do estado, é baseada principalmente no Setor de Serviços, que representa 78,3% do PIB do município, com destaque para a Administração Pública, que sozinha gerou R$ 283 milhões, ou seja, 63,2% do PIB.

Os municípios de Caracaraí com PIB de R$ 219 milhões, Mucajaí com R$ 183 milhões, e Alto Alegre com R$ 181 milhões, fecham o quadro das cinco maiores economias do Estado.

Em relação ao PIB per capita, que representa o valor médio de riqueza gerado por cada habitante durante um ano, Boa Vista foi o município que teve o maior valor, com PIB per capita de R$ 17.925, seguido por Bonfim com R$ 13.439 e Rorainópolis com R$ 12.148. Uiramutã é o município que apresenta o menor PIB per capita com R$ 8.690, seguido por São Luiz com R$ 10.661 e Pacaraima com R$ 10.889.

Menores economias

No outro extremo do PIB, há São Luiz e Uiramutã com as menores economias de Roraima, estes municípios apresentaram em 2012, respectivamente, PIB de R$ 74 milhões e R$ 76 milhões. Suas economias baseiam-se na agricultura familiar, e dependem exclusivamente de repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e recursos de amparo social como o Programa Bolsa Família.

Fonte: G1

Deixe o seu comentário