Candidatos e fiscais denunciam irregularidades em concurso em RO

irregularidadesAlguns candidatos e fiscais apontaram supostas irregularidades no concurso público da Secretaria Estadual de Saúde de Rondônia (Sesau), realizado no último domingo (14). Segundo as denúncias, foram flagrados aparelhos celulares e relógios dentro dos locais de aplicação de provas e até a folha de respostas teria sido divulgada em redes sociais. O certame, que teve mais de 19 mil inscritos, é organizado pela Cetro Concursos Públicos, que, até a publicação desta matéria, não deu respostas sobre o assunto. A empresa foi contratada pela Secretaria Estadual de Administração e Recursos Humanos (Searh) para promover o concurso. A pasta informa que já notificou a Cetro para obter explicações.

Um candidato, que preferiu não ser identificado, afirma ter presenciado o momento em que uma candidata foi eliminada da prova por estar com o celular ligado e tocando dentro de sala. Ele reclamou da saída constante dos fiscais dos locais de aplicação dos exames, o que, segundo o candidato, facilitou o uso indevido de celular por vários concorrentes. “Teve falta de controle até na distribuição dos gabaritos, pois o fiscal não sabia o que fazer, e o pessoal pegou o gabarito por conta própria. Na minha sala, havia dois fiscais, mas em muitas outras havia só um”, conta.

As irregularidades são confirmadas por outra candidata, que também não quis se identificar. “Na minha sala só tinha uma fiscal, que ficou com o celular na mão o tempo todo”, relata. A candidata reclama que pagou caro para prestar o concurso, e até o invólucro (saco) para guardar os pertences pessoais, como celular e relógio, não atendeu as expectativas. “Era um plástico com ‘amarrador’ de arame. Um rapaz tirou foto da prova, e mandou para as redes sociais. Qual a seriedade desse concurso?”, questiona.

O G1 ouviu ainda dois fiscais que atuaram no concurso e também não quiseram ter os nomes divulgados. Ambos apontam que as orientações e treinamento oferecidos pela empresa responsável foram insuficientes.

“Nos apresentamos às 6h, recebemos instruções às 7h30. A instrutora era de fora, leu o manual e depois cada um se virou”, alega uma fiscal. Ela conta que ouviu relatos de pessoas que assinaram a lista de presença incorretamente e de candidatos pessoas que estavam com o celular dentro de sala. “Eu fiquei sozinha na sala, mas deu tudo certo. Reclamamos o fato de ficar sós na sala, mas não tinha outra opção. Ou vai, ou responde judicialmente”, desabafa.

Outro fiscal confirma a falta de orientação. “Leram a folha, mas não explicaram, e depois fomos encaminhados para as salas”. No entanto, ele não acredita na hipótese de candidatos usando celular em sala e relata que ouviu apenas reclamações, inclusive de uma possível ação contra a empresa devido à desorganização. “Toda vez que eles iam ao banheiro, passavam por um detector de metais, acho difícil que alguém esteja com celular. Me falaram que quem postou a foto da prova é de Candeias.”

A superintendente da Secretaria Estadual de Administração e Recursos Humanos (Searh), Carla Ito, informou que a pasta recebeu as denúncias e já notificou a Cetro, para que sejam tomadas as providências necessárias. Além disso, foi estipulado um prazo para as explicações. Segundo a superintendente, se for comprovada alguma irregularidade, a empresa será responsabilizada. A Cetro ficou responsável pela organização após ganhar licitação pública realizada pela secretaria.

Já o secretário de Saúde, Williames Pimentel, alega que a Sesau não teve participação na realização do concurso.

Fonte: G1

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA