Casos de dengue e zika caem em Vilhena, mas município ainda tem risco de surto

Aedes_aegyptiApós o levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) indicar a cidade de Vilhena como um dos municípios de Rondônia em alerta de surto, a Vigilância em Saúde intensificou as ações de combate e prevenção contra o mosquito.

De acordo com a coordenadora da Vigilância em Saúde de Vilhena, Lucinéia Fagundes,os trabalhos acontecem principalmente nas escolas.

‘Orientamos aos alunos sobre o criadouro, as três principais doenças, as complicações, as larvas… Uma vez que eles apreendem, levam para os pais, olham seus quintais e entendem a importância de combater esse mosquito’, explica.

Apesar dos casos de dengue e zika terem caído expressivamente, de janeiro a dezembro deste ano, em comparação a 2016, mais de 9% das casas visitadas pelos agentes tinham larvas do Aedes aegypti. O foco foi achado, na maioria das vezes, no lixo doméstico.

Queda

Em 2016, foram confirmadas 217 casos de dengue, 235 de zika e sete de chikungunya. Em 2017, 14 casos de dengue, 54 de zika e sete de chikungunya.

A diferença maior foi na infecção por dengue, que apresentou uma queda de 93,5%.

Fonte: G1

Deixe o seu comentário