Clube que revelou Cristiano Ronaldo faz testes com jogador rondoniense

dabsonPara muitos, os sonhos estão no terreno de casa, na mesma cidade, no mesmo estado ou até no país onde nasceu. Para o atleta Dabson Amaral, de 19 anos, existe um mar, literalmente, para conseguir chegar até a chance que bateu à sua porta: Sporting Clube de Portugal, time que trilhou o caminho de Cristiano Ronaldo rumo ao posto de melhor do mundo. O rondoniense não vai como pagamento de dívida, como aconteceu com CR7. Através de um vídeo, que chegou até um olheiro do time português, o meia foi escolhido e segue na próxima semana para a capital portuguesa. Lá ele passará 15 dias em testes e, quem sabe, começará a trilhar o mesmo caminho do atual atacante do Real Madrid.

Jovem e ansioso, Dabson mora em Ariquemes. Perto de viajar, ele sabe o que quer e tem a consciência de que se agradar, ficará por lá mesmo. Filho de pais já envolvidos com o mundo do futebol, o meia sabe que essa pode ser a melhor oportunidade da carreira.

– Acredito que é oportunidade da minha vida, e vou agarrar com todas as minhas forças. Estou muito ansioso para viajar logo, mas também focado e preparado para mais esse desafio – resumiu o jogador, que não esconde o sorriso tímido causado pela oportunidade.

Ao contrário de muitos, Dabson não caiu de paraquedas no futebol. O pai, Marcolino Silveira, e a mãe Edna Souza Santos, são proprietários de uma escolinha de futebol na cidade. Eles são ainda treinadores dos atletas e foi assim que tudo começou para ele, que garante sempre ter atuado longe da família e que, caso fique em Portugal, morar em outro país não será problema.

– Comecei a jogar futebol aos cinco anos de idade e aos 11 anos saí de casa para atuar no futebol de base do Campinas, em São Paulo. De lá pra cá sempre vivi longe de casa, com esse sonho de ser jogador… Não tinha como não ser assim, já que meus pais trabalham com isso e foram meus primeiros treinadores. Os dois sempre me deram muita força pra seguir nessa área.

Mesmo acostumada com as idas e vindas, Dona Edna garante que o coração está bem apertado. Temerosa, ela diz que ir ao continente europeu é um passo largo e que causará aflição. Desta vez, o mar que divide a casa e a possível realização do sonho do atleta a deixou aflita.

– Desde os 11 anos ele está fora de casa e damos muito apoio, tem que seguir o sonho. Além do mais, se ele ficar no Sporting vai abrir mais portas para outros garotos da cidade. A aflição é coisa de mãe mesmo – brinca Edna.

Já Marcolino é o pai empolgado com a chance. Ele destaca as qualidades técnicas do filho e conta que Dabson tem o perfil dos jogadores europeus e garante: se ele se empenhar na avaliação terá tudo para ficar em Portugal.

– Dabson tem visão de jogo, qualidade no passe, além da experiência em ficar longe de casa, isso não é problema pra ele. Avalio que todo esse conjunto deve ajudar muito meu filho nos testes. Como pai e como treinador eu acredito demais no potencial dele.

Fonte: GE

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA