Com cautela, Pizzonia ainda sonha com título na temporada da Stock Car

pizzonhaEm 2008, Antônio Pizzonia era destaque na imprensa amazonense. O piloto era o primeiro do estado a fazer parte da maior modalidade de automobilismo nacional, a Stock Car. Após seis anos, o manauara, que em 2014 conclui sua 2ª temporada completa, resolveu bater de frente com os rivais.

O parceiro de equipe (Mico’s Racing) de Júlio Campos, apesar de estar em 10º lugar, com 53 pontos atrás do líder Átila Abreu, afirma que ainda tem esperança no caneco da competição.

– Quero ser campeão (da Stock Car). Acho que estou em uma fase muito boa, minha equipe está em uma fase muito boa, que vem crescendo. Talvez a gente ainda não esteja em condições iguais com as equipes grandes para brigar pelo título, mas não deixa de ser uma possibilidade – afirmou o piloto, que possui uma vitória na temporada.

O sonho pelo título pode ser reflexo de um ex-companheiro de pistas. De 2003 a 2006, Pizzonia fez história ao ser o primeiro nortista do Brasil a chegar na F1. Na ocasião, quando piloto da Williams, ele também compartilhou da experiência de Rubens Barrichello. Oito anos depois, manauara e paulista mais uma vez se encontram nas pistas. Barrichello, inclusive, venceu duas corridas e figura na vice-liderança do campeonato.

Oriundo do kart, Pizzonia passou a se destacar aos nove anos de idade. Hoje, aos 33, relembra com orgulho a caminhada pelas pistas nacionais e internacionais.

– Eu lembro que o meu primeiro título de campeão paulista de Kart foi o meu primeiro grande sonho. Depois, o título de campeão brasileiro também foi outro sonho realizado na época. Depois eu fui para a Europa e cada ano era um desejo diferente. Graças a Deus eu tive uma carreira muita vitoriosa neste meu período pré-F1 – disse.

Com a aposentadoria ‘marcada’ para daqui a sete anos, Pizzonia, vez ou outra, retorna a Manaus para visitar a família e amigos. A sensação é a melhor possível.

– Fiquei muito tempo fora, então sentia falta de muita coisa, dos amigos, da família. Agora, estou em casa, posso aproveitar as coisas que mais gosto daqui, principalmente a comida, peixe… Isso tudo que eu sentia muita falta, né? O tucumã, que eu gosto muito. Então está bem legal – finalizou.

Fonte: GE

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA