Corá x Jabá: Vereadores brigam em sessão extraordinária no último dia 03

Vereador Jabá foi alvo da fúria do presidente da Câmara

Na última Sessão Extraordinária da Câmara Municipal de Cacoal, dia 03 de Outubro, mais um “barraco” para a conta da atual mesa diretora, foi contabilizado. O atual presidente Valdomiro Corá (Corazinho), após ameaçar assinar convênio com a Polícia de Militar de Rondônia – PM/RO – para calar e mandar retirar a força do plenário vereadores que não obedecessem suas ordens, exaltado abandou a Sessão e chamou o vereador Jabá Moreira para porrada.

Ao que parece o Projeto de Lei Aprovado, que gerou muitos comentários na comunidade cacoalense por autorizar o Presidente da Câmara Corazinho firmar convênio com a PM-RO para policiais militares fazerem a segurança de vereadores, finalmente tem seu motivo esclarecido. Durante a referida Sessão Extraordinária o vereador presidente Corazinho declarou que Policiais Militares serão usados para fazer calar vereadores que não obedecerem a suas ordens durante as Sessões e retirados a força do plenário pela força policial com ordem do Presidente.

Presidente da Câmara, segundo Jabá, o chamou para a briga

Ainda durante a Sessão, o presidente abandonou a mesa e chamou o vereador Jabá Moreira para brigar na rua. “Vamo lá pra fora vereador! Vamo lá fora!” e saiu do plenário. A vice-presidente vereadora Maria Simões teve que encerrar os trabalhos sem que fosse concluída a votação de todos os Projetos.

Para alguns vereadores, servidores da Câmara e parcela da população, ficou claro que o vereador Corazinho não consegue conduzir o Poder Legislativo com o devido decoro e ainda quer que a PM-RO trabalhe para atender às suas vontades arbitrárias com o dinheiro do povo, inclusive ameaçando determinar que Policiais Militares retirem vereadores e populares que se manifestarem durante as sessões legislativas.

O vereador Jabá afirmou que votou contra o projeto de lei que autoriza o Presidente da Câmara usar Policiais Militares durante as sessões, porque os policiais militares já recebem seus salários para fazer a segurança da população de modo geral, em situações de anormalidade de ordem pública e outros. Ele afirma também que o Termo de Cooperação diz que a Câmara Municipal irá remunerar os policiais que estiverem prestando serviço no recinto. Por fim, Jabá argumenta que esses servidores da Lei que estiverem em serviço na Casa legislativa, estarão de folga da Corporação Militar Estadual.
“Ou seja, o vereador Corazinho está contratando a PM-RO para sua guarda pessoal e pagando com dinheiro do município”, conclui o vereador.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA