Crise financeira faz 9 cidades cancelarem o carnaval 2018, em RO

bonecosNove cidades de Rondônia anunciaram no mês de janeiro o cancelamento do carnaval 2018 por causa da crise financeira. Segundo as prefeituras que cancelaram a festa, assim como em 2017 o foco dos gestores é priozirar investimentos para outras áreas, como saúde e educação.

Entre as festas carnavalescas canceladas no estado estão algumas das mais conhecidas pelos foliões, como a Jifolia da cidade de Ji-Paraná.

Com o cancelamento do carnaval nas maiores cidades do interior do estado, os foliões fanáticos terão como opções as festas particulares nas cidades ou os blocos de ruas em Porto Velho. Na capital do estado a festa está garantida (clique aqui e confira a programação de carnaval em Porto Velho).

No interior do estado, algumas cidades ainda não definiram se vão realizar a folia de rua. Uma delas é Pimenta Bueno, que deve decidir sobre o projeto carnavalesco somente na próxima semana.

Confira abaixo as cidades que optaram em não fazer o carnaval de rua:

Ariquemes

No começo desta semana, a prefeitura de Ariquemes anunciou que, pelo quinto ano consecutivo, não haverá festa pública de carnaval na cidade, que fica a 200 quilômetros de Porto Velho.

Segundo o prefeito Thiago Flores (MDB), a data “não passará em branco” e atividades internas serão realizadas com alunos nas escolas.

“Vamos fazer nos moldes do ano passado. A prefeitura não investirá recursos em festas públicas. A nossa intenção é valorizar a cultura do carnaval, mas no âmbito das escolas. Cada escola organizará suas festividades, mas no âmbito interno de cada unidade”, afirmou.

Cacoal

Assim como aconteceu em 2017, Cacoal não irá realizar o carnaval com o recursos da prefeitura. Segundo a presidente interina da Fundação Cultural de Cacoal, Jheniffer de Sousa Mariano, não houve tempo hábil para a contratação para a contratação dos serviços necessários para a festa.

Ainda de acordo com Jheniffer, o carnaval é uma festa cara e o município não tem recursos para realizar o evento. O foco da pasta neste ano é investir mais no projeto ‘Sonharte’, que atende crianças carentes.

Espigão D’Oeste

A prefeitura de Espigão D’Oeste também decidiu não realizar a festa de carnaval por causa de crise financeira na cidade. Esta será a quarta vez que o município não faz folia de rua.

Guajará-Mirim

Na segunda-feira (22), a prefeitura de Guajará-Mirim informou que pelo segundo ano seguido o município não terá festa de carnaval promovida pelo poder público. O anúncio foi feito pelo próprio prefeito Cícero Noronha (DEM), que explicou ao G1 os motivos do cancelamento da programação carnavalesca.

Segundo Noronha, a cidade passa por problemas em diversos setores e a administração resolveu cancelar o carnaval e dar prioridade às necessidades imediatas, a saúde e educação, por exemplo.

A última folia em Guajará foi em 2015. Em 2014 a cheia do Rio Mamoré foi o motivo do adiamento. Em 2016 a prefeitura também cancelou a programação por falta de recursos financeiros. Nas ocasiões, mesmo sem o carnaval popular, empresários locais se mobilizaram e promoveram festas carnavalescas particulares, como também foi em 2017.

Ji-Paraná

Outra cidade que cancelou o carnaval pelo segundo ano seguido foi Ji-Paraná. A festa era conhecida como Jifolia. Segundo o poder executivo, os cerca de R$ 40 mil que seriam destinados ao período carnavalesco serão redistribuídos entre os diversos programas e projetos desenvolvidos e mantidos pela Fundação Cultural de Ji-Paraná.

Nova Mamoré

As festas de carnaval em 2018 foram também oficialmente canceladas em Nova Mamoré, conforme anunciou a prefeitura através de uma nota. Segundo o comunicado, o cronograma carnavalesco não vai acontecer porque a cidade passa por uma crise financeira e outros setores vão receber prioridade.

Com o cancelamento da programação, a única opção dos foliões será participar de eventos particulares promovidos por empresários da cidade ou clubes da região.

Pimenta Bueno

Procurada pelo G1, a prefeitura de Pimenta Bueno informou que ainda não decidiu se vai realizar a folia de rua. A decisão oficial deve sair somente na próxima semana. Em 2017, a festa da cidade foi cancelada por falta de verba e de segurança pública.

Rolim de Moura

Em Rolim de Moura a administração não promoverá o carnaval em 2018 por falta de recursos financeiros. Em 2017 a festa foi cancelada pelo mesmo motivo. A prioridade é atender os setores da saúde e educação.

São Miguel do Guaporé

A Prefeitura de São Miguel do Guaporé informou que não irá realizar a festa de carnaval, pois as comemorações não estão dentro do orçamento municipal.

Vilhena

Pelo 4º ano seguido, o carnaval de rua não será realizado em Vilhena (RO) por causa de problemas financeiros. A prefeitura alega seguir exemplo de outras cidades do estado, que decidiram não fazer a festa pública.

Segundo o presidente Fundação Cultural de Vilhena (FCV), Djavan Santos, a decisão foi tomada após uma reunião com a prefeita. “Achamos por opção não fazer, aderindo à decisão de outras cidades. Nem é tanto por questões financeiras, mas esse também é um ponto que analisamos, já que a festa geraria um gasto a mais ao município”, contou.

Fonte: G1

Deixe o seu comentário