Diversificar consumo pode favorecer produção de feijão

As gôndolas dos supermercados e os índices de preços não deixam tirar outra conclusão: com os preços de agora, o feijão carioca está cabendo bem menos no orçamento do brasileiro. No IPCA-15 de fevereiro, por exemplo, a alta foi de 34,56%. O indicador é a prévia da inflação oficial medida pelo governo. Em supermercados, preços acima do R$ 7, R$ 8, ou até R$ 10.

Plantio de área menor na safra 2018/2019, além de estiagem em algumas regiões do Brasil prejudicaram a produção e colocaram os preços nas alturas. Ao produtor, a saca de 60 quilos retirada na fazenda chegou a R$ 400 no início deste ano. Atualmente, está em torno de R$ 360, de acordo com o Instituto Brasileiro do Feijão (Ibrafe).

Para a instituição, uma saída para superar esses picos de preço é a diversificação: estimular o consumo de outras variedades de feijão presentes no mercado brasileiro, como branco, vermelho e caupi. Acompanhe o comentário no CBN Agronegócio desta terça-feira (5/3).

Fonte: Revista Globo Rural

Deixe o seu comentário