A EDUCAÇÃO, CACOAL E FÁTIMA GAVIOLI…-POR FRANCISCO XAVIER

xavierA educação de Rondônia é uma coisa mesmo complexa e problemática, especialmente quando as informações chegam distorcidas e sem os suportes necessários para que sejam compreendidas com clareza, o que nem sempre acontece.

Todas as pessoas que acompanharam o governo, ou desgoverno, de Confúcio Moura sabem muito bem que não aprovo esse governo por inúmeros motivos e nem vejo perspectivas administrativas que possam nos indicar uma luz, mas a injustiça não está entre os muitos defeitos que tenho. Estas palavras iniciais são para comentar a recente nomeação de Fátima Gavioli como secretária da Educação de Rondônia. Nomeação que vejo com bons olhos.

Antes que qualquer pessoa venha com papo furado, deixo bem claro aqui o seguinte: não estou manifestando minha opinião para bajular ninguém, não acredito nesse governo e nem votei em Confúcio, mas conheço um pouco do trabalho que Fátima Gavioli faz em Cacoal.

Ao decidir publicar minha opinião, tenho como base as informações prestadas pelo jornalista Gessi Taborda e esclareço que uma das primeiras coisas que faço ao acessar os portais onde Taborda escreve é ler sua coluna, pois sou admirador daquilo que ele escreve e faz tempo que sou um leitor assíduo deste importante profissional da imprensa de nosso estado. Entretanto, e com muito carinho, quero apresentar minhas discordâncias sobre as informações publicadas em sua última coluna, relacionadas com a nomeação da professora Fátima Gavioli para a pasta da educação.

Como sou professor em Cacoal, conheço meus colegas de trabalho e acompanho as ações de cada um. Não tenho a menor intenção de advogar para nenhuma pessoa do governo de Confúcio, mas tenho obrigação de dizer que conheço o trabalho da nova secretária, como chefe da CRE de Cacoal. Conheço e aprovo, pelo dinamismo, pela boa comunicação que tem com os profissionais, pela humildade e por ser uma pessoa muito presente nas escolas. Como estou na educação há mais de 20 anos, conheci outras pessoas que ocuparam o cargo de secretária de educação. Algumas dessas pessoas tenho amizade, como é o caso do ex-secretário de educação Edinaldo Lustosa, pessoa por quem tenho muita admiração, outras pessoas tenho aversão, e assim sigo a vida.

O jornalista Gessi Taborda não tem obrigação nenhuma de conhecer a “Capital do Café”, mas Cacoal tem pessoas de muita expressão, além de ter mais de 70 cursos universitários, já que a cidade é um pólo universitário. Além dos cursos de graduação, Cacoal tem dezenas de cursos de pós-graduação, tem o melhor hospital público do estado, tem o único hospital do câncer do estado, com uma estrutura moderníssima, tem o Cacoal Selva Park, conhecido por todos que gostam de coisas de qualidade, tem excelentes restaurantes e tem uma sensação de paz que eu gostaria de ter ao andar em Porto-Velho. Nivelando por baixo, a única coisa que Cacoal tem parecida com a capital do estado é o prefeito: incompetente, inexpressivo, preguiçoso e sem compromisso com a população…

Para ficar bem clara a minha opinião, registro que não tenho nenhum privilégio da CRE de Cacoal, dou 41 aulas na escola Cora Coralina e compareço ao trabalho com normalidade. No ano de 2015, vou continuar na escola, dando as aulas que dou e convivendo com meus alunos. Com relação à nova secretária, vou ter com ela uma conversa de professor, porque foi a única secretária deste governo bagunçado que é professora. Não preciso bajular ninguém, não tenho benefícios do governo, mas procuro ser justo. Caso a nova secretária cometa os erros que condeno em seus antecessores, vou dar minha opinião aqui publicamente, mesmo porque tenho obrigação de comentar sobre pessoas de Cacoal. Resumindo: neste momento, a

professora Fátima Gavioli tem meu total apoio, porque é colega de profissão. Futuramente, se ela merecer críticas como secretária, vou fazer sem nenhuma piedade, porque a educação precisa ser fiscalizada pelos professores e demais trabalhadores da educação.

Minha opinião sobre Confúcio Moura é a mesma que sempre tive, ou seja, vejo o governo como uma grande bagunça, não acredito no governador, não aprovo nenhum de seus secretários anteriores e mantenho minha opinião sobre todos, mas acredito na colega Fátima Gavioli. A mesma liberdade que tenho para acreditar é a liberdade que vou usar para criticar, quando for preciso, pois assim podemos construir um estado livre, sem mesquinhez e com a grandeza de pessoas como Gessi Taborda… Tenho dito!

FRANCISCO XAVIER GOMES

Deixe o seu comentário