ESPOSAS DE POLICIAIS E BOMBEIROS MADRUGAM EM FRENTE À ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA CONTRA REALINHAMENTO SALARIAL

protestoA Reportagem do Jornal NewsRondônia foi solicitada a comparecer em frente a Assembléia Legislativa do Estado de Rondônia na madrugada desta quarta-feira (28), onde várias esposas de Policiais e Bombeiros Militares estavam reunidas. A ação é uma forma de protesto contra a proposta de realinhamento salarial para os PMs e BMs.

De acordo com Ada Dantas, Presidente em exercício da Associação dos Praças e Familiares da Polícia e Bombeiro Militar do Estado de Rondônia (ASSFAPOM), houve a elaboração de um projeto de realinhamento de salários, realizado por oficiais da Polícia Militar e Bombeiro Militar, sendo este encaminhado para o Governado Confúcio Moura. A ação das esposas é em forma de pedido para que os deputados votem contra o projeto, que prejudicará milhares de Policiais e Bombeiros Militar. O projeto será votado na manhã desta quarta-feira (28) e caso aprovado, irá entrar em vigor a partir do dia 1º de Abril.

Segundo informações, o projeto de realinhamento salarial consiste em retirar as horas extras recebidas pelos profissionais no que é chamado de “Escala Extraordinária”, ou seja, quando um PM e/ou BM é solicitado para trabalhar em seus dias de folga ou estender seu plantão de serviço.

Atualmente, cada servidor recebe R$11,60 (onze reais e sessenta centavos) por hora de serviço extra, sendo que poderá exercer no máximo 60 horas extra por mês. Além disso, o salário do Cabo iria reduzir em R$30,00 (trinta reais) por mês e o de Soldado iria ter uma redução de R$164,00 (cento e sessenta e quatro reais). Ada Dantas afirma ainda que em tal projeto, consta o aumento salarial para oficiais em cerca de 60%.

A Presidente em exercício relata ainda que o quadro da Polícia Militar está defasado em pelo menos 50%, sendo que atualmente atua com cerca de 5.400 profissionais, quando o mínimo para uma segurança de qualidade seria de 11.600 servidores. Algumas esposas relataram que seus maridos estão sem receber as horas extras do mês de Dezembro/2014.

Questionada sobre uma possível redução do efetivo de Policiais Militares que realizariam a segurança do carnaval no mês de Fevereiro/2015, caso seja aprovado o realinhamento salarial, Ada Dantas afirmou que o realinhamento pode até ser aprovado, desde que os Policiais e Bombeiros continuem a receber as horas extras por serviço prestado à comunidade. “Esse realinhamento salarial ele pode ser aprovado, porém, garantindo a remuneração do serviço extra do Policial Militar” relata Ada Dantas.

Finalizando sua entrevista, a representante afirmou que nenhum policial e/ou qualquer outro servidor vai querer trabalhar de graça. A população tem que ficar com um pouco de receio em relação à possível redução de policiais nas ruas da Capital.

Fonte: News Rondônia

Deixe o seu comentário