Estelionatários usam o celular para aplicar golpes, em Ji-Paraná, RO

golpe_celularUm golpe tem sido aplicado em moradores de Ji-Paraná(RO), cidade distante 374 quilômetros de Porto Velho. Pelo telefone celular e com códigos de área que geralmente são de outros estados, pessoas se passam por vendedores de serviços de uma empresa de telefonia e oferecem equipamentos para internet móvel e outras vantagens, pedem dados pessoais e bancários, afirmando que a instalação será realizada em até três dias úteis. A pessoa só se dá conta de que foi vítima de um golpe porque o retorno para marcar a instalação do aparelho não acontece.

O golpe é comum e praticado em vários estados, segundo o delegado Luiz Carlos Hora. “A gente percebe que essas ofertas sempre têm algo em comum: os valores estão sempre abaixo do encontrado no mercado. Isso desperta a cobiça das pessoas. O estelionatário sabe como conduzir a conversa e acaba fazendo a pessoa abaixar a guarda”, relatou.

A orientação do delegado é que, em uma situação de oferta duvidosa, o melhor é perder o negócio e dizer que retornará a ligação, solicitando os dados da empresa. “Mesmo assim é preciso ter cuidado, porque alguns golpes são bem elaborados, os golpistas atendem as ligações, passam até número de protocolo. Na dúvida, ligue nas centrais de atendimento da empresa citada pelo suposto vendedor”, alertou.

Os procedimentos para coibir a ação dos criminosos são básicos. “Se passou dados bancários, avise o gerente de sua conta, bloqueie débitos automáticos, se for preciso até cancele cartões. Registre um boletim de ocorrência, mesmo que o número de telefone seja de outra cidade, como costuma ser”, orienta Hora. Nestes casos, a Polícia Civil encaminha a investigação para a delegacia da cidade em que o estelionatário provavelmente se encontra.

“O estelionato praticado por meio eletrônico é mais complicado de investigar, pois o criminoso dificilmente está na mesma cidade que a vítima. A pessoa precisa tomar cuidado, porque crimes patrimoniais são difíceis de serem revertidos”, concluiu o delegado. O estelionato é um crime de médio potencial ofensivo, cabe pagamento de fiança e dificilmente tem prisão efetivada, pois a pena é dada por meio de medidas alternativas.

Fonte: G1

Deixe o seu comentário