Faltam vagas nas escolas públicas

escolaEm meio ao crescimento populacional que tomou conta do estado de Rondônia, um dos graves problemas enfrentados por muitos pais de crianças em idade escolar, é justamente conseguir matricular seus filhos em uma escola da rede pública municipal e estadual. Segundo apurado pela equipe do Diário, muitos pais estão encontrando dificuldades para conseguir vagas em escolas próximas a seus endereços. Para a auxiliar administrativa Érica Macedo, o governo não conseguiu acompanhar o crescimento infantil no Estado. “Todos os dias nascem crianças, essas crianças crescem e infelizmente não há um investimento na construção de escolas e na ampliação das que já existem e o resultado disso é esse, pais na corrida por vagas e sem expectativas”, desabafou. Segundo Miracélia Miranda, servidora estadual, a dificuldade tem sido grande, o filho saiu da Escola Estadual Branca de Neve, e agora ela não consegue vaga na Escola Estadual Carmela Dutra. “Está sendo muito complicado, mandaram aguardar a chamada escolar, mas minha preocupação é que não haja vaga pra ele próximo de casa, pois se hoje não tem vaga, quem garante que na chamada eu consiga”, argumentou a servidora.

Período de rematrícula e lançamento de notas

Segundo o diretor da Escola Estadual Duque de Caxias, Geovaldo Sena, a escola atende crianças do 1º ao 9º ano e 5ª ao 8ª da EJA (Educação Jovens e Adultos), contudo a demanda de alunos é grande, mas é preciso que os pais tenham calma pois as escolas ainda estão em período de rematrícula, alguns professores ainda estão lançando as notas, visto também, a situação que a escola passou com o período de cheias do rio Madeira, onde algumas escolas serviram de abrigos, com isso houve um certo atraso no calendário letivo.

“Aqui nós implantamos o quinto tempo que permitiu que não houvesse tanto atraso no calendário letivo. Mas o que os pais precisam ter em mente é que ainda haverá a chamada escolar e com ela será possível conseguir uma vaga pros seus filhos, até pelo fato de que a prioridade das vagas, são primeiros para as crianças que são encaminhadas de creches e outras escolas próximas e depois para os que residem próximos a escola”, afirmou Geovaldo.
De acordo com a diretora de uma escola da rede estadual, localizada na região central de Porto Velho, a escola abriu apenas uma sala de aula para atender 15 alunos, segundo ela os alunos da Creche Marise Castiel foram encaminhados todos pra lá, mas apenas 15 foram contemplados os demais seguem aguardando a desistência de algum aluno para conseguir uma vaga naquela instituição de ensino. “Isso, fora a comunidade que aguarda por uma vaga, o pior que pra esses é que não têm mesmo”, relatou.

Constantes mudanças de domicílio

Segundo a secretária estadual de educação, Fátima Gavioli, o Estado é responsável pelas crianças da segunda fase do Ensino Fundamental, ou seja, do 6º ao 9º ano e do 1º ao 3º do Ensino Médio, a primeira fase do Ensino Fundamental é de responsabilidade do município. “Porém, nós ainda mantemos algumas escolas com a primeira fase do Ensino Fundamental. Mas o problema maior é referente as constantes mudanças de domicílio, a escola que hoje é a mais próxima de casa é uma, no meio do ano letivo o pai muda e lá procura outra escola pro filho, no final do ano muda novamente e isso atrapalha tanto no desenvolvimento escolar da criança, quanto no processo de vagas nas escolas”, frisou.

Ela ainda orienta que os pais procurem a unidade escolar mais próxima a sua residência para que não haja filas e tumulto durante a chamada. “Alguns pais moram em um determinado bairro, no entanto eles têm o desejo de matricular o filho em uma escola central. Isso, sem dúvida, vai dificultar o trabalho durante a chamada”, alerta.

Chamada escolar na rede Estadual começa dia 26

A chamada escolar acontece no período de 26 a 30 de janeiro para os alunos novatos, de acordo com os dados da Coordenadoria Regional de Educação (CRE) de Porto Velho, o período de rematrícula dos alunos acontece entre os dias 5 e 9 de janeiro; a matrícula dos estudantes desistentes em 2014 será no dia 12; e as transferências de crianças e jovens entre escolas da rede estadual serão realizadas de 13 a 15 de janeiro.

Chamada escolar na rede Municipal começa dia 20

A Chamada Pública Escolar para as escolas da rede municipal de ensino. acontecerá de 20 a 23 de janeiro. Com a Chamada Escolar a prefeitura consegue diagnosticar o número exato de novas vagas que deverão ser ofertadas à população. Este ano mais de três mil novos alunos devem ingressar na rede municipal de ensino. Essa previsão foi diagnosticada durante o Censo Escolar realizado no período de 03 de novembro a 12 de dezembro de 2014, pela Dien/ Semed (Divisão de Inspeção de Ensino da Secretaria Municipal de Educação).

De acordo com a secretária municipal de educação, Francisca das Chagas, a “Chaguinha, a Chamada Escolar não representa a matrícula, mas é um instrumento importante porque, a partir das informações obtidas, é possível planejar melhor o ano letivo. É um sistema democrático de levantamento de dados que facilita o planejamento institucional para assegurar que nenhuma criança em idade escolar fique sem estudar. A secretária confirmou que o aluno que estiver inscrito na Chamada Escolar tem a garantia de uma vaga. Pode não ser na escola escolhida pela família, mas é a certeza de que aquela criança terá uma escola para estudar o ano letivo de 2015.

Para a realização do cadastramento, os documentos necessários são: certidão de nascimento do aluno, declaração de escolaridade, comprovante de residência do responsável e documento de identificação do responsável pelo cadastro. Atualmente, 46 mil alunos estão matriculados na rede municipal de ensino e para atender à demanda deste ano, a prefeitura de Porto Velho inaugurará neste mês mais salas de aula. No próximo dia 20, será entregue à comunidade a creche do Jardim Santana, com 320 vagas.

Fonte: Diário da Amazônia

Deixe o seu comentário