Federal incinera mais de uma tonelada de drogas

drogasA Polícia Federal (PF) realizou na manhã desta segunda-feira, em Vilhena a incineração de exatos 1.433,247 quilos de drogas apreendidas durante duas operações na divisa do município, realizadas no mês de fevereiro. A carga completa era de maconha e cocaína. Juntos os carregamentos estão avaliados em quase R$ 2 milhões.

O clima entre os policiais e investigadores que participaram da incineração era de festa, uma vez que esta foi a maior apreensão de drogas já registrada em Vilhena, e também pelo sucesso da operação, que envolveu as polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal.

Em um dos casos, 1.250 quilos de maconha e cinco pessoas são presas na fronteira entre RO e MT.

A apreensão aconteceu no dia 14 de fevereiro. A PF tinha a informação de que um caminhão entraria no estado de Rondônia com uma grande quantidade de drogas. Com a ajuda das demais forças policiais do município de Vilhena, os agentes da polícia iniciaram as investigações e montaram o cerco para dar o bote nos traficantes. Os agentes envolvidos na operação estavam no posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) à espera do caminhão, marca Mercedez Benz, modelo 1418, placas de Porto Velho. Os policiais iniciaram a vistoria no veículo e encontraram 1.673 tabletes de maconha escondidos entre 260 sacos de cimento.

O caminhão era dirigido por Rubenilson Vieira Pinheiro, 38 anos, que no momento da abordagem estava acompanhado de Jorge Paulo Gonçalves, 37. Logo atrás, uma caminhonete marca Toyota, modelo Hilux também foi parada pelos policiais.

No veículo estavam Cleuton da Silva Rodrigues, 40 anos; Adriano Augusto dos Santos Silva, 25 anos, e Geraldo de Almeida Miranda, 36 anos. Todos foram presos. Eles foram acusados de fazerem a escolta do caminhão.

Segundo os homens presos na operação, a droga foi comprada no município de Campo Grande (MS) e tinha como objetivo a cidade de Porto Velho, e Rio Branco (AC). A droga estava avaliada em mais de R$ 370 mil.

No segundo caso, a cocaína escondida em caminhão pode ter vindo da Bolívia. Era início da madrugada do dia 21 de janeiro quando um caminhão marca Iveco, modelo Stralis 410 foi parado na barreira da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Vilhena. O veículo de placas do município de Alta Floresta era conduzido por Everaldo Kester. Durante a busca na carreta os policiais federais encontraram o fundo falso onde havia aproximadamente 170 quilos de cocaína. O motorista do caminhão relatou que receberia R$ 60 mil pelo transporte da droga, que foi carregada no município de Cacoal e tinha como destino a capital do Ceará, Fortaleza. Esta é a segunda vez que Everaldo Kester é preso por transportar drogas.

Doze agentes da PF estavam trabalhando no caso durante quatro meses até a apreensão. Pelo formato das embalagens, os investigadores da polícia acreditam que o entorpecente chegou a Rondônia de avião, proveniente da Bolívia. As investigações continuam, porém em segredo de justiça, até que todos os envolvidos no crime sejam presos. A carga toda foi avaliada em R$ 1,5 milhão. A cocaína presa em Vilhena era do tipo refinada, a mais cara do mercado.

Fonte: Diário da Amazônia

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA