‘Foi milagre’, diz médico sobre menino que teve olho atingido por vergalhão

medico“Óbvio que foi um milagre e sorte da criança.” A declaração é do diretor clínico do Hospital Infantil Cosme e Damião, Daniel Pires de Carvalho, que divulgou nesta sexta-feira (27), o estado do menino de 11 anos que teve o olho perfurado por um vergalhão de ferro, ao se acidentar na Escola Família Agrícola (EFA) em Vale do Paraíso (RO), na última quarta-feira (25). Segundo o médico, a perfuração não atingiu nenhuma estrutura óssea, globo ocular ou cérebro da criança, por isso o garoto não terá sequelas nem incapacidade física.

Daniel reiterou a sorte do menino, principalmente porque o Hospital Cosme e Damião, onde aconteceu o atendimento, não conta com estrutura para casos de trauma. “Nosso hospital não tem estrutura para atender paciente vítima de trauma, a gente só tem emergência clínica, fomos pegos de surpresa. A gente teve que correr e conseguimos fazer com o apoio da Secretaria Estadual de Saúde, mas trauma, mesmo que seja pediátrico, deve ser encaminhado ao João Paulo II”, esclarece o diretor.

De acordo com o laudo médico, o quadro da criança se apresenta estável e o garoto ainda deve passar de 7 a 10 dias internado para recuperação. “O pós operatório é delicado temos que trabalhar para evitar processo infeccioso e observar sua evolução”, explicou o diretor.

O G1 entrou em contato por telefone com a Escola Família Agrícola (EFA) para saber sobre a situação em que ocorreu o acidente. Uma funcionária informou que um dos banheiros da instituição passa por reformas, mas não deu quis dar mais detalhes sobre os materiais de construção que estão no local. A reportagem tentou falar com o diretor da escola, que estava em reunião e não retornou a ligação, até a publicação desta matéria.

Entenda o caso

medico1O acidente ocorreu por volta de 6h da manhã de quarta-feira na Escola Família Agrícola (EFA), onde o jovem estuda. De acordo com a mãe do estudante, Alessandra Ribeiro Lukachinski, o menino tropeçou ao passar por um local em obras e caiu em cima do vergalhão quando ia buscar produtos de limpeza em uma sala da escola. Ela relata que, por sorte, o menino não tentou arrancar o objeto e agradece aos que prestaram socorro. “Foi um milagre de Deus. Os bombeiros chegaram rápido e um professor o acompanhou. Ele dizia que estava com medo de ficar cego, mas já se passaram mais de 12 horas da cirurgia e está bem”, comemorou a mãe no dia do acidente.

A criança foi socorrida pelos professores que chamaram o Corpo de Bombeiros. Primeiro ele foi encaminhado para o Hospital Municipal Laura Maria Braga, em Ouro Preto do Oeste, e, após primeiro atendimento, teve que ser transferido para o Hospital Infantil Cosme e Damião, na capital. O estudante viajou cerca de três horas até Porto Velho, onde a equipe constatou pela tomografia e raio-x que o globo ocular foi perfurado, mas a estrutura do olho estava preservada e o vergalhão não atingiu a parte interna do cérebro.

A operação para retirar o vergalhão foi realizada em conjunto com cirurgião e oftalmologista. Segundo a diretora do hospital, Antonieta Rodrigues, o precedimento demorou em razão da limpeza do ferimento, já que a barra de ferro estava enferrujada. A diretora explicou que a preocupação maior no momento é de uma possível infecção. “Ele será acompanhado com oftalmologista e neurocirurgião. Vamos seguir acompanhando o quadro clínico. No momento está estável”, esclarece a diretora.

Fonte: G1

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA