Governo abre campanha de prevenção às doenças renais crônicas

doenca_cronicaCom o tema “Prevenção da doença renal começa na infância”, o governo de Rondônia abriu nesta quinta-feira (10), em Ariquemes, a semana de prevenção às doenças renais crônicas. A data foi escolhida por ser o Dia Mundial do Rim. Neste ano, o foco é alertar a população com relação à adoção de hábitos saudáveis, ingestão de água, mudança de estilo de vida, detecção e auto cuidado das doenças crônicas não transmissíveis, como hipertensão arterial sistêmica e diabetes.

Ainda em Ariquemes, pela manhã, acontece um pit stop nas principais ruas da cidade, com a distribuição de material informativo sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce. O município de Ariquemes foi escolhido para ser a sede da abertura da campanha por abrigar um moderno centro de hemodiálise, referência estadual no atendimento de pacientes renais crônicos, com capacidade de atender toda demanda do Vale do Jamari, formado por 11 cidades.

No período da tarde, dezenas de alunos de escolas da rede estadual de ensino vão visitar as instalações do Centro de Hemodiálise. Eles participarão de palestras sobre as doenças do rim, como evitá-las adotando hábitos mais saudáveis de vida.

Na segunda-feira (14), a programação será destinada aos alunos da rede municipal de ensino. Técnicos do setor farão palestras sobre: como pode ser feita a prevenção, sintomas, e a importância de hábitos corretos, desde a infância, para evitar complicações na fase adulta da vida.

Segundo Domitila de Moraes, coordenadora do programa de nefrologia da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), o objetivo é prevenir e conter a incidência de doença renal crônica. Ela afirma que dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam as Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) como um dos principais desafios em saúde pública para as próximas décadas. As doenças estão intimamente relacionadas com os hábitos de vida, fator hereditário, e ao envelhecimento da população mundial, segundo relato da organização.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Williames Pimentel, que participou da abertura em Ariquemes, a Sesau acompanha o programa de metas adotado pela OMS e trabalha com a estimativa de redução da mortalidade por essas doenças até 2022.

Ele destaca os investimentos do governo de Rondônia na prevenção e tratamento das doenças renais crônicas, inclusive com a realização de transplantes em vários pacientes que passaram pela Central de Transplantes do Hospital de Base Ary Pinheiro, unidade de referência no tratamento de alta complexidade em Rondônia.

O QUE É A DOENÇA

A doença renal crônica (DRC) é caracterizada pela perda progressiva e irreversível das funções renais. A sua real prevalência não é totalmente conhecida, mas cerca de 10% da população adulta tem algum grau de perda de função renal. Esse percentual pode aumentar para 30% a 50% em pessoas acima de 65 anos, deixando evidente que o risco para o seu aparecimento aumenta substancialmente com o envelhecimento.

Domitila de Moraes afirma que a DRC passou a ser considerada um dos pilares do Plano de Enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no território brasileiro, devido às ações da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) junto ao Ministério da Saúde (MS).

A doença renal crônica em crianças é relativamente rara, porém quando ocorre, traz consequências devastadoras para as crianças acometidas, sendo as anomalias congênitas e as doenças hereditárias os diagnósticos mais frequentes. O tratamento dessa condição de alta complexidade é difícil, caro e trabalhoso, afirma.

Fonte: Assessoria

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA