Homem diz ‘receber’ R$ 100 mil do estado ao ter CPF fraudado, em RR

cpfReinaldo Barbosa Rangel, de 42 anos, ‘descobriu’ ser funcionário público mesmo sem nunca ter ‘pisado’ em uma instituição estadual para trabalhar e já ter recebido quase R$ 100 mil, entre 2009 e 2010, segundo afirmou ao G1. Ele soube que o número de seu CPF foi usado indevidamente quando se dirigiu à Caixa Econômica Federal (CEF) para fazer um empréstimo. No banco, foi informado que o seu nome constava no Cadastro Informativo de créditos não quitados do setor público federal (Cadin) e orientado a ir à Receita Federal (RF), onde constatou a irregularidade em seu documento.

Barbosa registrou um Boletim de Ocorrência e denunciou o caso ao Ministério Público Federal (MPF-RR). Ele disse desconhecer quem usou seu CPF e ficou surpreso ao saber, há cinco dias, que em 2009 e 2010 recebeu, respectivamente, R$ 49.758,50 e R$ 49. 897,80 do governo estadual, valores depositados em uma conta bancária.

“A informação de que eu era funcionário de algum órgão do estado foi passada pela Receita Federal. Só não me disseram qual seria. Além disso, estou devendo R$ 6 mil em impostos referentes aos anos de 2010 e 2011. Os R$ 100 mil que eu ‘recebi’ foram depositados em uma conta conjunta de um casal de idosos. Sabemos disso porque fomos ao banco após pegarmos os dados do meu CPF na Receita Federal. No documento, estava o número da conta”, esclareceu.

Conta bancária

Com as informações, Barbosa foi ao banco onde, segundo ele, um funcionário disse que não poderia dar os nomes dos titulares da conta corrente.
“Só com ordem judicial podemos ter acesso para saber quem são essas pessoas. O funcionário contou que há dinheiro depositado, mas não informou quanto. Vamos descobrir após pedir o bloqueio dessa conta bancária”, disse, complementando que em cada mês foram depositados R$ 4.146,54. “Acredito ser o salário de alguém”, considerou.

Ele lamentou ter o seu CPF usado de forma ilícita o que, segundo ele, o prejudicou diante de órgãos públicos. “Meu nome está na dívida ativa. Não posso fazer empréstimos porque alguém usou meu CPF para fazer falcatruas. Estou impedido de fazer coisas pessoais e ainda estou em débito com o Governo Federal, como apontou o Cadin”, desabafou, acrescentando que começou a declarar Imposto de Renda em 2013 e 2014.

Segundo Barbosa, uma audiência está marcada no MPF-RR nesta sexta-feira (26). Ele assegurou que pretende recorrer à Justiça após saber a identidade da pessoa que usou seu CPF. “Algum órgão público terá de responder pela minha situação e também quem usou meu documento. Sofri danos morais e quero meus direitos garantidos”, citou.

Ele assegurou que conseguiu uma declaração do estado informando que não é servidor estadual. “Isso não quer dizer nada. Fui informado pela Receita Federal que recebo do governo estadual. Por isso, contratarei um advogado para requerer mais informações”, concluiu.

Outro lado

O G1 entrou em contato com a assessoria de comunicação do governo estadual e foi informado que uma resposta sobre o caso será enviada nesta sexta-feira (26).

Fonte: G1

Deixe o seu comentário