Inadimplência diminui 39% nos últimos seis meses em Cacoal, RO

comercioA inadimplência tem diminuído em Cacoal (RO), município a 480 quilômetros de Porto Velho, segundo dados levantados pela Câmara de Dirigentes Logistas (CDL) do município. Dos mais de R$ 50 milhões de dívidas gerados nos últimos cincos anos, cerca de 39% foram quitados neste semestre.

De acordo com o gerente da entidade Thiago Silva, nos últimos cinco anos foram registrados mais de 30 mil pessoas inadimplentes, o que soma cerca de R$ 51 milhões em dívidas negativadas no Sistema de Proteção ao Crédito (SPC). No entanto, nos últimos seis meses foram recuperados mais de R$ 7 milhões desse valor, o que equivale a uma queda na inadimplência de 39%.

O pagamento dessas dívidas faz com que as pessoas voltem a ter os nomes limpos no comércio, e essa realidade tem sido sentida pela gerente de uma loja de confecção, Magda Coppo. Segundo ela, para driblar a inadimplência é preciso contar com algumas estratégias de trabalho e até de resgate dessa dívida.

“Quando o cliente nos deve, nós fazemos uma renegociação. Juntamos o montante, tiramos os juros e dividimos o valor. Nossa preocupação é que o cliente quite a dívida, para que possamos voltar a atendê-lo no futuro”, explicou Coppo.

Segundo dados do SPC, Rondônia apresentou uma redução de mais de 6% da inadimplência entre fevereiro de 2017 e fevereiro de 2018. A CDL tem hoje registrados 620 associados e de acordo com o gerente da entidade, essa melhora no quadro, se deve ao empresário estar mais criterioso no momento da liberação do crédito.

“Hoje os empresários já não se baseiam apenas em ter restrição ou não, mas também o poder de compra do consumidor, o que também ajuda a inibir a inadimplência no município”, acredita Thiago Silva.

A inadimplência reflete o quadro de dificuldades econômicas que as famílias ainda enfrentam, segundo Thiago. O setor bancário lidera o ranking dos inadimplentes, seguido pelo comércio. Mas para o gerente da CDL, os números positivos apresentados mostram que as pessoas estão mais preocupadas em quitar as dívidas.

“A dificuldade financeira que tivemos em 2016 e 2017 melhorou bastante em 2018, mas a principal causa da inadimplência é a falta do poder de compra do consumidor, visto que ainda há uma grande parcela da população desempregada”, detalhou Thiago.

Fonte: G1

Deixe o seu comentário