Indígenas invadem Funasa e cobram melhorias na saúde em Vilhena

indigenasO prédio da Fundação Nacional da Saúde (Funasa), em Vilhena, está tomado por cerca de 60 índios da aldeia Mamaindê, que fica localizada há quase 80 Km, entre o município de Comodoro (MT) e Vilhena.

A ocupação começou nesta quarta-feira,19, segundo os chefes por melhores condições de vida, em se tratando de assistência à saúde e trabalho.
Segundo o cacique pagê, José Augusto, faltam medicamentos, insumos e transporte.

“Estamos aqui reivindicando mais a questão do trabalho do chefe da Sesai, queremos a demissão dele, pelo mal atendimento na questão da saúde. Esses repasses não estão sendo feitos da forma correta? Ou então, nós, os índios, será que não temos recursos destinados a saúde? Ou será que o Ministério da Saúde não aplica o recurso na saúde indígena?” Questiona o líder.

Ainda segundo os líderes indígenas, crianças e adultos estão morrendo pela falha no atendimento. “Por isso nós estamos pressionando os responsáveis e ficaremos instalados aqui até chegar uma resposta”, destacou o pagê.

“A gente podia estar lá, em nossa comunidade, em nossa aldeia, mas não. Viemos até aqui reivindicar. Só queremos assistência na área da saúde, pois quando precisamos de cuidados médicos ficamos à mercê do destino na Casa do Índio (Casai)”, desabafou a cacique das mulheres Elizabeth Mamaindê.

“Estamos lutando por todas as etnias, todas as aldeias para trazer melhorias”, finalizou o cacique Alírio Mamaindê da aldeia “Água Suja”, instalada em Nova Conquista.

Fonte: Extra de Rondônia

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA