Ji-Paraná: Consórcio apresenta sistema de saúde

consorcioSecretários de Saúde de 42 dos 52 municípios, em Rondônia participaram de uma reunião técnica com consultores da TWI Consultoria e Tecnologia no auditório da Secretaria de Agricultura (Semagri), em Ji-Paraná promovida pelo Consórcio Público Intermunicipal (CPI) com objetivo de apresentar o Sistema em Gestão para Secretarias Municipais de Saúde (G-MUS), que integra não somente o sistema administrativo como também todas as unidades de atendimento de saúde, em rede com o Sistema Nacional. O projeto conta atualmente com adesão de 420 cidades no Brasil.

“Essa reunião é para demonstrar como nosso sistema G-MUS integra todas as unidades facilitando as informações ao Ministério da Saúde garantindo aos municípios melhor performance no decorrer do dia e aumento dos recursos federais. Além de trazer uma qualidade maior no atendimento”, ressaltou Maurício Freitas, administrador da TWI.

O G-MUS é um sistema inteligente que auxilia diretamente as ações das Secretarias de Saúde, dando suporte e agilidade no trabalho e com controle total aos seus gestores. O sistema é simples de usar, fácil de implantar e com excelente custo-benefício. “Uma das questões importantes é o prontuário eletrônico, que hoje o município necessita, pois tudo o que o médico precisa no ato de uma consulta médica, ele pode prescrever verificando on line o que tem na farmácia básica através desse sistema de informatização. Benefício que se estende aos agentes de saúde por meio de um tablet com informações integradas com Ministério da Saúde”, completou

Para o diretor executivo do Consórcio Público Intermunical, João Nunes Freire, o sistema, além de inovador, possibilita a maximização das ações de estratégicas de saúde, criação de séries históricas para auxílio nas tomadas de decisões, novo prontuário eletrônico: agora mais simples, prático e com maior rigidez no controle de segurança e permissões por categoria profissional.

“É um sistema que ao invés de gerar despesas, gera receitas, porque o Governo Federal tem recursos, porém as prefeituras são desprovidas de técnicos. Com essa reunião agregamos informações e aprendemos como captar esses recursos. Hoje somos exemplo no Estado, de um projeto que aumenta a qualidade do serviço, amplia a quantidade e sua eficiência”, comentou João Nunes.

Salientou ainda, que o sistema é um suporte muito grande para os municípios de Rondônia na elaboração de projetos, em Gestão de Saúde. A Secretaria de Saúde de Pimenta Bueno implantou o G-MUS em outubro de 2014, dinamizando totalmente o sistema de saúde. “Hoje entendemos o quanto esse sistema melhorou e ampliou as ações em nossa cidade. Os avanços são notáveis em todos os setores. O nosso maior arrependimento é de não ter implantado antes, acredito que essa é a solução para a maioria dos municípios, em Rondônia”, garantiu Silvio Carlos, secretário de Saúde de Pimenta Bueno.

Serviço integra sistemas do sus e esus

Para os coordenadores do Programa de Saúde do Consórcio Intermunicipal de Saúde, João Batista Lima e Maria Aparecida de Oliveira, os benefícios com G-MUS são inquestionáveis.

“Hoje, modelo como referência em 420 cidades brasileiras é a prova maior que deu certo. É um sistema, que apresenta soluções práticas para o setor de saúde, que engloba acesso de qualquer lugar via internet, o histórico do paciente por ser visto independente da unidade onde foi atendido anteriormente, resultado de exames direto do prontuário do paciente, com consulta dos pacientes via internet e com total sigilo e segurança”, explicou João Batista, coordenador do Programa de Saúde

Os dados inseridos no G-MUS possibilitam que os profissionais de saúde possam localizar usuários atendidos por um determinado procedimento: CID, faixa etária ou sexo. Permite através das informações desenvolverem ações de prevenção para os hipertensos, diabéticos e outros, inclusive organizando os grupos de atendimento.

Além disso, a integração com diversos sistemas oficiais do SUS e e-SUS dão comodidade e eficiência para sua secretaria de saúde, como no cadastro de pacientes integrado diretamente com o Cartão Nacional de Saúde (CNS), na exportação automática do BPA/BPA-I para o SIA, entre outras comodidades.

“Na verdade, o G-MUS oferece otimização e controle de materiais, serviços e recursos nas secretarias, eliminação de retrabalhos de digitação, duplicidade de documentos e diminuição do uso de papel e impressões, redução de filas, maior agilidade, qualidade e humanização no atendimento e melhor aproveitamento dos recursos e contratos, permitindo redirecionar as demandas acumuladas, e diminuir acumuladas com eficácia plena no sistema”, detalhou Maria Aparecida, coordenadora do Programa de Saúde.

Fonte: Diário da Amazônia

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA