Jornalismo e militância se tornam tema em live promovida pela UNIR

Naiana Ribeiro trabalha como jornalista e criadora de conteúdo na internet. A editora do iG, ex-repórter do Correio* e influenciadora digital é a convidada do MíDIcast para uma conversa sobre “Jornalismo, ativismo e representação”. O encontro acontece às 19h (de Rondônia) e 20h (de Brasília) no dia 17 de novembro de 2020 (terça-feira), no canal do MíDI no YouTube.

A militância como uma mulher gorda e bissexual convive diariamente com a atividade de repórter e editora. Naiana Ribeiro consegue relacionar bem as questões subjetivas da sua identidade e ativismo com sua atividade profissional. Uma prova desse casamento é a revista PLUS, lançada em 2016 como a primeira do mercado nacional destinada às adolescentes e mulheres gordas. A jornalista já venceu os prêmios Gandhi de Comunicação (2019) e INMA Global Media Awards (2017) e foi finalista nas premiações: Newsawards.uk (2018) e no LATAM Digital Media Awards (2017). Em 2020, teve uma reportagem reconhecida pelo Chartbeat (2020) no top 100 com maior audiência do mundo.

Ribeiro acredita que o jornalismo é uma atividade que media a realidade a partir das vivências pessoais e subjetivas. Ainda que pretenda ser o mais objetivo possível, o profissional não consegue atingir a imparcialidade. “Quando estamos falando de causas sociais, isso fica ainda mais evidente, ainda mais quando existem vivências íntimas – quase sempre profundas e dolorosas – envolvidas. Aposto muito no compartilhamento de experiências pessoais, não apenas para trazer representatividade e mudar olhares, mas também para informar e tentar fazer com que o interlocutor se coloque no lugar das minorias políticas“, explica a jornalista.

O MíDIcast recebe convidados para conversas sobre ciência e jornalismo, vinculado ao MíDI – Grupo de Pesquisa em Mídias Digitais e Internet do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Rondônia (UNIR). A intenção é realizar uma aproximação da universidade com a comunidade rondoniense, incluindo jornalistas e outros profissionais da mídia. “As atividades podem ainda integrar os pesquisadores de Rondônia e de outras regiões do país a fim debater temas de relevância na sociedade”, explicou o coordenador do MíDI, Allysson Martins.

Fonte: MíDI – Grupo de Pesquisa em Mídias Digitais e Internet

UNIR – Universidade Federal de Rondônia
COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA