MAIS DE 640 JOVENS E ADULTOS EM PORTO VELHO RECEBEM DIPLOMA DE ALFABETIZAÇÃO

formatura semedA Prefeitura de Porto Velho, através da Secretaria Municipal de Educação (Semed), por meio do Departamento de Educação (DE), que coordena a Divisão de Educação de Jovens e Adultos (Dieja), realizou na noite de quarta-feira (17), no Teatro Banzeiros, a formatura de 640 alunos do programa do governo federal, Brasil Alfabetizado (Bralfa).

O Brasil Alfabetizado funciona como uma espécie de escola comunitária, sem vínculos com a prefeitura, que tem o objetivo de reduzir os índices de analfabetismo. Para isto, são criadas turmas em espaços públicos, sejam eles, associações, igrejas, centros de recuperação, entre outros locais, com estrutura apta para tal atividade.

Ao todo foram formadas 85 turmas por alfabetizadores convidados pela Semed, com direito a material didático e bolsa no valor de R$ 400,00 (quatrocentos reais) para uma turma e R$600,00 (seiscentos reais) para duas turmas.Valéria Patrícia Souza trabalhou na função com uma turma de 30 alunos montada no Bairro Marcos Freire. A professora por formação, encontrou na oportunidade uma forma de incrementar a renda e praticar a função na qual se dedica principalmente pelo dom e amor em ensinar. ” Eu já tinha experiência em regiões com uma população mais carente e esta foi uma das motivações para que mais uma vez eu me colocasse a disposição da educação, agora ensinando a pessoas mais velhas que não tiveram esta oportunidade”, comentou a alfabetizadora.

Aos 56 anos de idade, Francisca Alvina de Bezerra, resolveu aprender a ler e escrever. Sem ter como estudar na infância, já que trabalhava num seringal ainda criança, a autônoma esbanja sorrisos por vencer esta etapa. “Aos poucos eu estou aprendendo e não quero mais parar”, comemorou.

Para conclusão da alfabetização, os estudantes maiores de 15 anos, passaram por uma carga horária de 320 horas que iniciou em maio. O próximo desafio da Semed, segundo a secretária Francisca das Chagas, é combater a evasão escolar no Ensino de Jovens e Adultos (EJA). “Hoje entregamos o diploma a um número considerável, foram poucas as desistências. Agora nós trabalharemos no encaminhamento destas pessoas para as nossas escolas municipais que disponibilizam do EJA, dando continuidade assim ao ensino”, destacou a secretária.

No próximo ano, com o objetivo de fortalecer ainda mais o Bralfa, a secretaria pretende implementar o programa direto nas unidades do município, segundo explica a coordenadora, Adriana Oliveira. “Muitos não participam por vergonha ou medo da discriminação em frequentarem a sala de aula na idade adulta, sendo assim, nós acreditamos que se a alfabetização ocorrer dentro da escola, as chances desse aluno se habituar ao convívio com os jovens seja maior”, concluiu a chefe do Dieja.

Fonte: comunicação pmpv

Deixe o seu comentário