Materiais eletrônicos abandonados viram peças de artesanato, em RO

lixo_eletronicoCom o aumento do consumo de aparelhos eletrônicos, a quantidade de lixo desse tipo de equipamentos também cresceu. O descarte incorreto causam riscos ao meio ambiente e consequentemente à saúde dos seres humanos. Desde o início desse ano, professores e alunos do 6º e 7º ano da Escola Municipal Doutor Dirceu de Almeida, em Ariquemes (RO) desenvolveram o projeto “Lixo Eletrônico e Arte Sustentável”, que visa reutilizar de forma artesanal e funcional os aparelhos eletrônicos descartados.

A professora e coordenadora do laboratório de informática da escola, que idealizou o projeto, Mirian Vassoler, conta que a iniciativa teve como objetivo também induzir os alunos a refletir sobre o consumo exagerado de materiais eletrônicos. “Fizemos palestras explicando para os alunos não consumirem por modismo e assim evitar que cada vez mais a produção do lixo eletrônico”, explica a professora.

A professora destaca ainda que durante o projeto, os alunos arrecadaram os materiais descartados em lojas de eletrônicos do município e produziram diversos artesanatos com os produtos e inclusive reutilizaram de forma sustentável. “Alguns monitores velhos, viraram casinha de cachorros, lixeira, vasos de plantas e outros materiais viraram relógio de parede. Os produtos foram expostos e alguns vendidos numa mostra que fizemos na escola”, reiterou.

A aluna do 6º ano Karina Cassiano, de 12 anos, achou o projeto divertido e também importante, uma vez que conscientiza sobre o descarte correto dos materiais. “As baterias de celulares, por exemplo, têm produtos tóxicos. O descarte incorreto causa danos ao meio ambiente e a saúde das pessoas.

Aprendi que nas lojas onde são vendidos os aparelhos, também são ponto de coleta”, informou a estudante.

O diretor da escola, Ézio Pereira, ressalta que além do projeto ser bom para o meio ambiente foi também muito produtivo para escola uma vez que, segundo ele, o índice de indisciplina diminuiu. “Quando os alunos fazem atividades assim, eles ficam focados, porque gostam do que estão fazendo. Com isso, ganha o meio ambiente, mas a escola ganha muito mais com o aprendizado dos estudantes”, comemorou o diretor.

Fonte: G1

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA