Moradores ribeirinhos de Cacoal, RO, se preparam para possível enchente

cheia_cacoalApós a última forte enchente que atingiu o município de Cacoal (RO), distante 480 quilômetros de Porto Velho, no início deste ano, comunidades ribeirinhas já começam a se preocupar novamente com a chegada das chuvas. Isso porque segundo o Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), a previsão é que no próximo trimestre o volume de água seja maior e acima dos padrões climáticos em todo o estado.

A autônoma Clarice da Silva, de 46 anos, conta que todos os anos a rotina é a mesma na época chuvosa, e é preciso erguer os móveis e eletrodomésticos para que não sejam perdidos na cheia. A família conta que também investiu no aumento do muro, onde a água bate com mais força. “Todo ano, quando chega o fim do mês de outubro, subimos nossas coisas e sempre na esperança de que o rio irá abaixar, mas enquanto não entra a seca novamente meus móveis continuam no alto”, conta Clarice.

Segundo a dona de casa Silvanete Silva Morais, de 38 anos, no início do ano a enchente foi muito forte, pois a água invadiu a residência com muita força, tanto pela frente, quanto pelos fundos da casa. “É preciso que a família esteja preparada, pois a água sobe muito rápido, e caso contrário corre o risco de perder tudo. Quando a chuva baixa o quintal da nossa casa está tomado por sujeira, muitos insetos e bichos como caramujos e cobras”, lembra Silvanete.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente, José Aparecido Limeira, o município irá realizar um desassoreamento dos rios, porém afirma que “quando a chuva é torrencial não tem como controlar o volume das águas”. Ele ressalta que a secretaria vai providenciar a limpeza para ajudar a passagem da água e proteger as margens dos rios. “Também iremos retirar as sujeiras que a própria população joga nos rios e contribui para os alagamentos”, disse Limeira.

O secretário alerta aos moradores para as chuvas fortes, para que caso percebam o aumento nas águas dos rios, saiam de suas residências e procurem abrigo na casa de parentes ou amigos. No período chuvoso deste ano, vários pontos de Cacoal já ficaram debaixo d´água, e cerca de 800 famílias tiveram que ser retiradas de suas casas e alojadas em pontos de apoio e casas de familiares.

A previsão de aumento no volume de água é para os estados de Rondônia, Acre, Sudoeste do Amazonas e parte do Mato Grosso. Segundo o Sipam, a alteração tem a ver com o fenômeno ‘El Niño’, causado pelo aquecimento do oceano pacífico tropical.

Fonte: G1

Deixe o seu comentário