Morte de criança indígena por H1N1 é descartada em Cacoal

h1n1-influenzaA Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) de Cacoal (RO), descartou que a causa da morte de um indígena de quatro anos, em junho deste ano, tenha sido o vírus H1N1. Na época do falecimento, foi levantada a suspeita, mas exame realizado pelo Laboratório Central de Saúde de Rondônia (Lacen) diagnosticou que o falecimento da criança foi decorrente de pneumonia.

“O garoto foi a óbito, mas não foi por H1N1, ou seja, por gripe. Na investigação deu que a morte foi provocada por pneumonia, mas uma pneumonia não causada pelo vírus da gripe H1N1”, explicou a coordenadora de Vigilância em Saúde da Semusa, Ivani Gromann. O indígena morava em Espigão D’Oeste e ficou internado no hospital municipal Materno Infantil de Cacoal.

Ivani afirma que 26 casos de suspeitas do vírus foram notificados na cidade. Até agora, houve uma confirmação, em junho, e oito suspeitas foram descartadas. “Para os casos suspeitos nós notificamos o paciente, aplicamos o Tamiflu, é feita a coleta do material para posteriormente ser encaminhado ao Lacen para a realização do exame, até recebermos o resultado.

Então é feito todo um monitoramento”, esclareceu a secretária. A Semusa aguarda o resultado do exame dos outros 17 casos.

De acordo com a Semusa, a única pessoa que teve a doença confirmada até o momento no município passa bem. Só foi informado que o paciente é do sexo masculino.

A vacinação contra o vírus influenza deste ano em Cacoal ocorreu no período de 22 de abril a 13 de junho.

Fonte: G1

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA