MPF recomenda que Seduc contrate 20 professores indígenas em Guajará, RO

cre-guajara-mirimO Ministério Público Federal (MPF) recomendou, nesta semana, que a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e a Coordenadoria Regional de Educação (CRE) preencham o quadro de vagas de 20 professores indígenas nas aldeias de Guajará-Mirim (RO), município localizado na fronteira com a Bolívia, a cerca de 330 quilômetros de Porto Velho. A Seduc tem dez dias para responder a recomendação emitida pelo MPF.

Segundo o MPF, o objetivo da recomendação é melhorar os serviços públicos prestados aos serviços indígenas em relação à educação específica, intercultural, diferenciada, multilíngue e comunitária, e que os órgãos responsáveis adotem medidas de caráter pedagógico.

As recomendações para a Seduc e para a CRE são diferentes, com intuito de resgatar, preservar e promover a tradicionalidade indígena e reconhecer a riqueza de cultura que ela representa.

O MPF determinou que a Seduc faça a contratação imediata dos candidatos aprovados no concurso público de 2015, que são de 20 professores indígenas e 14 técnicos educacionais nível 1.

Em relação a CRE, a determinação foi que o órgão faça dentro de um prazo de 45 dias um grupo de trabalho entre o Núcleo da Educação Escolar Indígena e a equipe pedagógica da Escola Estadual Alexandrina do Nascimento Gomes, para elaborar, deliberar e aprovar o Plano Político Pedagógico (PPP), tendo 30 dias para enviar o relatório das atividades de conclusão.

Outro lado

Procurada pelo G1 nesta quinta-feira (26), a atual coordenadora do Núcleo da Educação Escolar Indígena da CRE de Guajará-Mirim, Jap Verônica Oro Mon, declarou que não falta professores nas áreas indígenas e que no último mês de setembro foram convocados 60 professores indígenas, suprindo as lacunas que existiam.

“O problema já foi resolvido. O concurso de 2015 abriu vaga para 20 professores indígenas e tivemos a última posse no dia 14 de setembro deste ano, onde foram convocados mais de 50 professores indígenas e contemplou todas as escolas para nível A e B. No total temos 38 escolas indígenas e 124 professores”, declarou servidora.

Fonte: G1

Deixe o seu comentário