Padre que atuou em Vilhena é sequestrado no MT; polícia prendeu um dos assaltantes

Padre Flávio Melchior Tártari, de 58 anos, foi sequestrado e ficou refém por seis horas em Mato Grosso — Foto: Youtube/Reprodução

O Padre Flávio Melchor Tartari, que liderou a comunidade católica de Vilhena de 2011 a 2016, foi sequestrado quando saía de um seminário na noite de sábado (29) em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá (MT). Ele teve o carro roubado e foi mantido refém por assaltantes por seis horas.

De acordo com o boletim de ocorrência da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos Veículos Automotores de Cuiabá (Derfva), o padre Flávio Melchior Tártari, de 58 anos, foi encontrado na madrugada de domingo (1º) depois que conseguiu se soltar e pediu socorro.

Um assaltante foi preso e o veículo do padre, um SW4, foi recuperado.

O padre saía de carro do Seminário São João Paulo 2, no bairro Cristo Rei, quando foi abordado no pátio da instituição por dois homens armados que estavam em uma motocicleta. Os ladrões sequestraram o padre, que teve as mãos e pés amarrados com cordas.

Ainda conforme relato do padre, os assaltantes o levaram até a região do Coxipó, no bairro Jardim Imperial, em Cuiabá. Nesse local ele ficou refém das 19h de sábado até as 1h de domingo, sempre sob a mira de uma arma e sendo agredido.

Os assaltantes decidiram libertar o sacerdote durante a madrugada em um matagal. O padre conseguiu se soltar das cordas e foi até um condomínio fechado onde pediu socorro.

Os ladrões levaram o veículo, os documentos, dinheiro e celular do padre.

O automóvel foi recuperado em uma barreira da Polícia Militar uma hora depois no município de Barra do Bugres, a 169 km de Cuiabá, com um dos suspeitos que foi preso.

A Derfva investiga o assalto e tenta localizar os outros assaltantes.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA