No AM, pesquisadores implantam transmissores em peixes de reserva

pirarucuUm estudo inédito é desenvolvido durante uma expedição pela Reserva de Desenvolvimento Sustentável Piagaçu-Purus (RDS-PP), no Amazonas. Pesquisadores do Instituto Piagaçu (IPi) iniciaram a aplicação de equipamento que distribuirá dados sobre a movimentação dos pirarucus pelos lagos localizado na região do Baixo Rio Purus.

De acordo com o IPi, em julho deste ano foram feitas reuniões com pescadores que trabalham com manejo de pirarucu e começaram os testes das ferramentas utilizadas no estudo. No início de novembro, os pesquisadores começaram também a implantação de um aparelho transmissor nos peixes. Cerca de 30 pirarucus já receberam transmissores para monitoramento da espécie durante esta primeira semana de expedição.

O objetivo geral do projeto é entender a dinâmica de uso do espaço pelos pirarucus em seu habitat natural para conseguir informações que poderão ser usadas para a gestão pesqueira. Com a pesquisa, o grupo pretende colaborar com a conservação e manejo sustentável da espécie. “Estamos utilizando uma série de ferramentas tecnológicas de ponta que permitem a aplicação de um sistema chamado telemetria, cujo princípio básico é a transmissão remota (sem fio) de informações entre um aparelho transmissor e um aparelho receptor”, informou o presidente do Instituto Piagaçu, Felipe Rossoni, por meio de assessoria.

O projeto conta com a participação dos doutores Leandro Castello, pesquisador da Virginia Polytechnic Institute and State University, dos Estados Unidos e de Eduardo Martins – Carleton University/University of British Columbia, do Canadá.

Instituto

O Instituto Piagaçu (IPi) é uma associação civil de caráter socioambientalista, sem fins lucrativos nem político partidário. Foi criado em fevereiro de 2004 para apoiar e desenvolver ações para a defesa, manutenção e elevação da qualidade de vida humana, dos recursos naturais e do meio ambiente rural e urbano, através de atividades, programas e projetos de educação ambiental, pesquisas científicas básicas e aplicadas, formação profissional especial e forma visando a preservação, a conservação e manejo.

Fonte: G1

Deixe o seu comentário