Princípio de incêndio causa tumulto em faculdade particular de Manaus

incendioUm curto-circuito causou um tumulto em um dos prédios da Faculdade Metropolitana de Manaus (Fametro), na Avenida Constantino Nery, na Zona Centro-Sul da capital, na noite desta terça-feira (23). De acordo com o Corpo de Bombeiros, houve uma explosão na caixa de força de energia elétrica, localizada no refeitório da instituição. O princípio de incêndio foi controlado pelos próprios funcionários com os extintores disponíveis no local, ainda conforme informações dos Bombeiros.

De acordo com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, sete pessoas foram atendidas por inalação de fumaça, sendo cinco delas removidas ao Serviço de Pronto Atendimento do Alvorada (SPA Alvorada) e uma grávida para o Instituto da Mulher Dona Lindu. Todos receberam os primeiros socorros e passam bem.

De acordo com a diretora geral da Fametro, Cinara Cardoso, a instituição pretende abrir uma investigação policial sobre o caso, por suspeita de boicote. “Os grandes interessados que esse tipo de episódio ocorra na Fametro são os concorrentes” disse ao G1.

Ela conduziu a reportagem até o local do incidente. Pelo caminho, ganchos vazios indicando o uso dos exintores no combate ao princípio de incêndio e muito pó químico dentro da subestação onde fica a caixa de força revelam o trabalho da brigada interna da faculdade, como afirma Cinara. “Não houve qualquer prejuízo material, e as aulas voltarão a ocorrer normalmente nesta quarta-feira (24)”, completou.

Para os alunos que presenciaram o caso, o susto foi grande. O graduando de psicologia Ulysses Chagas, de 25 anos, reclamou da falta de informação. “Evacuaram o prédio mas ninguém dizia o que estava acontecendo. Ficamos com medo porque poderia ser qualquer coisa. Quando conseguimos sair é que ouvimos alguma coisa sobre incêndio, mas nada muito certo”, disse ao G1.

A estudante de Serviço Social, Márcia Ferreira, de 38 anos, relata momentos de pavor. “Ouvimos aquele barulho de explosão bem forte e de repente tudo ficou escuro. Depois de alguns segundos a luz voltou e voltamos a estudar. Aí alguém abriu a porta e gritou fogo. Foi quando todo mundo saiu correndo. Liguei pro meu filho que estuda no 5º andar porque ninguém lá foi avisado. Foi um pânico geral”, afirmou.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o prédio foi verificado e atualmente está em segurança. A direção da unidade se comprometeu a contatar um eletricista para resolver o problema na caixa de força.

Fonte: G1

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA