Procon Assembleia em Roraima faz quase 14 mil atendimentos em 3 anos

proconDesde que o Procon Assembleia foi criado em Roraima em dezembro de 2011, quase 14 mil atendimentos já foram feitos. No ano seguinte à criação, 1.833 consumidores foram atendidos. Em 2013, 7.050 pessoas procuraram o serviço de Defesa do Consumidor. De acordo com o órgão, de janeiro a outubro deste ano, o número de atendimentos passa dos 5 mil.

A professora Rosete Sousa está entre os quase 14 mil cidadãos atendidos em quase três anos de funcionamento do Procon Assembleia. Após comprar uma máquina de lavar roupas, que apresentou defeito após sete dias de uso, ela disse ter enfrentado dificuldade para solucionar o problema na loja onde comprou o produto.

Segundo Rosete, para evitar mais ‘estresse’, ela decidiu procurar o Serviço de Orientação e Defesa do Consumidor (Procon Assembleia), órgão vinculado à Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR).

“Foi a primeira vez que procurei esse tipo de serviço. Graças a Deus, a empresa me ressarciu e com a devida correção. Em 28 dias, recebi o valor da máquina, pois eu não queria mais o produto. As pessoas que nos atendem são bem prestativas e fazem de tudo para ajudar. Você não sai do Procon sem uma solução”, garantiu.

A professora ressaltou que teve um problema com uma empresa de telefonia móvel, também solucionado com a intermediação do Procon Assembleia. Ela alertou os demais consumidores sobre a importância de procurar os órgãos de Defesa do Consumidor e terem seus direitos garantidos.

“As pessoas estão desacreditadas e deixam de procurar esse tipo de serviço. Eu diria a todos que, ao se depararem com situações como a minha, procurem [a Defesa do Consumidor]. É gratuito e em benefício da população”, disse.

Para o presidente do Procon Assembleia, deputado Coronel Chagas (PRTB), o órgão é um instrumento de cidadania e serve para aproximar ainda mais o Poder Legislativo do cidadão.

“O nosso objetivo é levar o Procon para os bairros mais distantes do Centro. A meta é que, em 2015, nós possamos implantar um núcleo na zona Oeste de Boa Vista e, em parceria com as prefeituras e câmaras municipais, treinar funcionários para que possam fazer o atendimento no interior do estado”, afirmou.

Conciliação

Conforme o diretor do Procon Assembleia, Lindomar Coutinho, após ser verificada a pertinência da queixa, procura-se resolver o problema levando às empresas o teor da reivindicação dos clientes. Segundo ele, em 90% dos casos as reclamações são aceitas e resolvidas de forma administrativa.

“Nós atuamos de uma maneira rápida e eficaz. No primeiro momento, tentamos resolver o problema com o fornecedor por telefone. Caso ele se negue, nós fazemos uma notificação e o prestador de serviço tem o prazo de dez dias para comparecer ao setor de conciliação, onde haverá um consenso entre o consumidor e o fornecedor”, explicou.

As audiências de conciliação envolvem os consumidores e os prestadores de serviços com a intermediação de um conciliador do Procon Assembleia. O maior número de reclamações é relacionado a empréstimos consignados, seguido de problemas com as operadoras de telefonia.

Conforme Coutinho, quando as partes não entram em um acordo, o consumidor é orientado a recorrer ao Poder Judiciário. O trabalho do Procon Assembleia é permanente com orientações ao consumidor por meio de atendimentos de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. O contato também pode ser feito gratuitamente pelos telefones (95) 4009-5620, (95) 4009-5616 e (95) 4009-5617.

Fonte: G1

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA