Produção de óleo de andiroba vira fonte de renda para extrativistas no AP

oleoandirobaO processo artesanal de produção do óleo de andiroba, comprovado cientificamente como um eficaz anti-inflamatório, cicatrizante e antisséptico, foi destaque em mais uma reportagem da série “Amazônia, conhecer para amar”, exibida pela TV Amapá. A série mostrou o processo que dura quase dois meses, iniciando com a coleta do ouriço de castanha na mata, o cozimento e a extração em uma comunidade na Área de Preservação Ambiental da Fazendinha, distante 9 quilômetros de Macapá.

Os extrativistas do local lamentam que seja cada vez mais difícil encontrar a andirobeira na Fazendinha, devido a exploração predatória na década de 1980, onde as árvores foram cortadas para extração da madeira. As que restaram são usadas pela comunidade como alternativa econômica.

As espécies na mata podem variar de 30 a 50 metros e, de acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), apresentam características tropicais e podem produzir ouriços em anos alternados. Ou até mesmo não produzir. Na Fazendinha, 696 árvores consideradas boas para a coleta foram catalogadas.

A associação local de extrativistas formada por famílias da região divide as funções para a extração do óleo. Os coletores juntam na floresta as amêndoas, que ficam dentro dos ouriços e são usadas para retirar a massa responsável por expelir o óleo de coloração amarelada.

As amêndoas são cozidas e colocadas para secar durante 30 dias, em um processo chamado de descanso. Nesse período ocorre a fermentação, onde o óleo concentra o potencial produtivo. Depois do tempo, é a hora da retirada da massa da amêndoa. Segundo a extratora Maria da Silva, o cheiro forte é o indicativo de que está no ponto ideal do óleo.

A massa é pressionada e começa a mudar de forma, e em seguida é passada para a biqueira, que é um pedaço de madeira que afunila em uma das pontas, por onde o óleo escorre. De acordo com a extratora, dez quilos de massa resultam em quatro litros de óleo de andiroba.

Na comunidade, a dona de casa Sidiane do Nascimento conta que a ingestão de uma colher de óleo duas vezes por dia faz bem para a saúde. “Tenho sempre em casa. Quando meus filhos estão gripados uso para passar no peito e nas costas deles para aliviar. Na garganta passo para aliviar a dor”, contou.

Fonte: G1

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA