Professor nega acordo com direção do Sintero, a quem chama de ‘ditadura do sindicalismo’

O professor Francisco Xavier Gomes, filiado ao Sintero (Sindicato dos Trabalhadores em Educação em Rondônia) manteve contato com a redação do expressaorondonia para contestar a informação de que tenha feito qualquer tipo de acordo com o diretor Nereu Klosinsk para as eleições que acontecem no próximo mês. Denominando o grupo que há cerca de 30 anos dominam o Sintero de ‘ditadura sindicalista’, Xavier Gomes garante que nunca sentou com Nereu Klosinsk nem pretende fazer isso nos próximos dois séculos.

Leia, a seguir, na íntegra o texto enviado pelo professor Francisco Xavier Gomes à redação do expressaorondonia:

ELEIÇÕES NO SINTERO: AS FOFOCAS, AS MENTIRAS E OS DINOSSAUROS…

A educação em Rondônia sempre enfrentou muitos problemas, principalmente quando as demandas dos trabalhadores foram mal conduzidas pelos dirigentes da Executiva Estadual do Sintero, visto que muitas vezes, a única coisa pela qual eles têm interesse é o próprio umbigo. As manobras sindicais adotadas pelos dinossauros do sindicalismo de Rondônia, e muitas vezes combatidas por centenas de trabalhadores da educação, continuam ocorrendo no estado, como é o caso das manobras utilizadas no equivocado processo eleitoral que teve inicio no sindicato nos últimos dias.

Antes de qualquer coisa, é importante deixar claro que não acredito na atual direção estadual do Sintero, porque muitos dos vícios que sempre combati continuam acontecendo, com a mesma naturalidade dos últimos 30 anos, e servem apenas para enfraquecer a categoria e dificultar, ainda mais, as nossas reivindicações. A forma como a atual direção estadual manobrou a realização de “assembleias virtuais” para empurrar a eleição goela abaixo dos filiados é prova clara de que praticamente nada mudou em três décadas. Nem mesmo a pandemia da covid-19 sensibilizou os velhos sindicalistas do Sintero e a meia dúzia de neófitos colocados na chapa de Nereu e companhia na última eleição do sindicato, para passar a falsa aparência de mudança.

Não houve absolutamente nenhuma mudança de postura e este fato é lamentável, porque muitos dos filiados que votaram nesta atual Executiva Estadual esperavam a necessária transparência e o fim das infinitas mentiras contadas por muitos dirigentes e seus asseclas.

Até o presente momento, eu não havia manifestado publicamente minha posição sobre a eleição deste ano, mas em todos os grupos de redes sociais tenho deixado claro o que penso sobre o processo eleitoral do Sintero e reitero minha posição nesta publicação, para evitar que mentiras e fofocas envolvendo meu nome sejam passadas por pessoas que tentam induzir os filiados ao erro.

A realização de eleições no Sintero neste momento representa uma falta de respeito incomensurável com os mais de 20 mil filiados do sindicato. A decisão de fazer a eleição neste momento representa apenas o desejo de perpetuação no poder dos velhos dinossauros do sindicalismo rondoniense. Ao fazer todas as manobras que foram feitas para mudar as regras da eleição, a Executiva Estadual do Sintero comprova que não tem nenhum respeito pelos milhares de filiados que fazem parte dos diversos grupos de risco da covid-19. A decisão mais serena, mais honesta e mais prudente, para este momento, seria prorrogar os mandatos atuais, até a volta das atividades presenciais nas escolas para, somente a partir disso, iniciar o processo eleitoral. Embora eu tenha diversas divergências sobre as posições da atual Executiva Estadual do Sintero, sou plenamente favorável à prorrogação dos mandatos, porque realizar as eleições neste crítico período de pandemia significa enganar os filiados, defender o próprio umbigo e ignorar os anseios dos milhares de filiados.

Em alguns veículos de comunicação do estado, há publicações de informações mentirosas, enganosas e totalmente infundadas, que possuem apenas a finalidade de induzir ao erro os filiados, conduta que repudio com veemência. Essas manobras e outros fatos são justamente as razões pelas quais jamais aceitei fazer qualquer tipo de acordo com os dirigentes que compõem o velho grupo de sindicalistas da década de 80, com inclusão de um ou outro mamulengo sem formação sindical e que se deixa manobrar pelo canto das sereias klozinskianas. Não se pode adotar essa conduta de manipulação para realizar uma eleição, sem a participação de todos os filiados na discussão. Uma assembleia realizada com a participação de 200 filiados não tem legitimidade para mudar as regras de uma eleição que está relacionada com a carreira de mais de 20 mil filiados. Como filiado, tenho vergonha de saber que a única finalidade da eleição neste momento é manter no poder as mesmas pessoas do século passado. Os filiados que pagam religiosamente suas mensalidades merecem respeito. As demandas da nossa categoria merecem respeito. Os opositores dessa ditadura sindicalista merecem respeito. Os eleitores que sempre votaram para manter esse grupo no poder merecem respeito. O sindicalismo rondoniense merece respeito.

Assim,  e para que fique bem clara minha posição oficial sobre o processo eleitoral do Sintero, esclareço a todos os filiados e filiadas deste brioso sindicato que, não faço parte de nenhuma chapa nas eleições deste ano, não vou votar em nenhuma chapa e considero vergonhosa a decisão de realizar as eleições em período de pandemia, porque a educação em Rondônia é a categoria profissional com o maior número de pessoas que fazem parte dos grupos de risco. Solicito a todas as pessoas que tiveram acesso a esta publicação que repassem as informações aqui registradas como prova de que mantenho minha posição de não participar de manobras, porque não acredito nisso.

Finalmente, com relação às informações divulgadas por alguns mentirosos de plantão,  dizendo que fui convencido pelo velho Nereu Klosinski a tomar uma posição ou outra, quero esclarecer que não acredito em Nereu como político e como sindicalista, jamais sentei com ele para tratar de qualquer assunto de formação de chapas e não pretendo fazer isso nos próximos dois ou três séculos, porque não aceito negociar a honra dos milhares de filiados e filiadas que já votaram em chapas encabeçadas por mim em eleições do Sintero e quando não havia restrições sanitárias para impedir o processo eleitoral. Assim que voltarmos às atividades presenciais, em respeito a todos os trabalhadores e trabalhadoras filiados ao Sintero, estarei de volta ao debate sindical. Qualquer outra informação envolvendo meu nome, que não sejam estas contidas na presente publicação, representam apenas o velho hábito, dos velhos dinossauros sinteristas; mas jamais representarão os legítimos anseios de nossa respeitada categoria… Tenho dito!!!

Francisco Xavier Gomes – Filiado ao Sintero

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA