Projeto altera regra para pedestres

pedestreO Brasil assumiu o compromisso de reduzir pela metade o número de mortes no trânsito até 2020. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 270 mil pedestres perdem a vida por ano, em todo o mundo, o que representa 22% do total de vítimas fatais de trânsito, que é de 1,24 milhão. Ainda, segundo a OMS, são cinco mil mortes registradas por semana. Os atropelamentos, com vítimas fatais ou não, representam uma importante parcela desses registros.

Pensando nisso e visando estabelecer ações na área de segurança dos pedestres e condutores, a Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ) deve votar após o primeiro turno das eleições, o projeto que obriga os pedestres a sinalizar com o braço estendido antes de atravessar a rua na faixa (PLC 26/2010). O objetivo é motivar os moradores de todas as cidades brasileiras a seguir uma prática habitualmente observada nas vias de Brasília.

Para o estudante de filosofia, Uirá Froes, o projeto garante a segurança dos pedestres e dos condutores. “Todo motorista pode ser pedestre e vice-versa, sendo assim todos precisam respeitar a faixa de pedestre. Eu já tenho esse hábito de sinalizar antes de atravessar na faixa e acredito que se todos fizessem o mesmo, poderíamos reduzir o número de acidentes no trânsito”, expõe Froes.

Mais frágeis

De acordo com o artigo 29 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), os pedestres são mais frágeis e, por isso, devem ser respeitados e observados com atenção. No entanto, quem anda a pé e utiliza constantemente vias de maior movimento, dizem não ter os direitos plenamente assegurados. O motorista que não dá preferência, que atrapalha e ameaça o pedestre na hora de atravessar a rua, comete infração de trânsito e tem que ser multado.

Punições aos condutores

O CTB prevê várias punições ao motorista. Parar em cima da faixa é uma infração média: quatro pontos na carteira e multa de R$ 85,00. Não dar seta é infração grave: cinco pontos e multa de R$ 127,00. Falta grave também comete o motorista que dobra a esquina e não dá preferência ao pedestre que está na faixa. Engatar e sair quando o pedestre ainda estiver atravessando é falta gravíssima. Vale sete pontos na carteira e multa de R$ 191,00.

Campanha nacional

Na última semana, o Departamento de Trânsito de Rondônia (Detran-RO), participou ativamente da semana nacional de trânsito, que abordou o tema: Década Mundial de Ações para a Segurança no Trânsito – 2011/2020: Cidade para as pessoas: proteção e prioridade para o pedestre.

Segundo a coordenadora de Educação de Trânsito, Gildete Alencar, a cada ano o Detran/RO, insere suas comemorações alusivas à data no planejamento das ações de caráter permanente. “Procuramos estabelecer parcerias com outros organismos envolvidos na área de educação e segurança no Trânsito, para maior engajamento da população’’, disse Gildete.

Fonte: Diário da Amazônia

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA