Governo aluga Prontocordis por quase 10 milhões para combater coronavírus

O Governo de Rondônia, com parecer da Procuradoria Geral-PGE, e com base no estado de calamidade pública aprovado pelo Poder Legislativo em 20 de março, através da SESAU – Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), contratou sem licitação, por três meses, o Hospital do Coração de Rondônia, o Prontocordis, no centro de Porto Velho.

Conforme contrato, o arrendamento custará aos cofres do Estado a quantia  de R$ 9.844.099,32 e a SESAU utilizará as dependências do Hospital para atendimento das vítimas do novo Coronavírus.

Os atos relativos ao arrendamento, foram publicados no Diário Oficial e tem a chancela do secretário da Saúde, Fernando Máximo.

A decisão é objeto de seguidas reuniões das autoridades de saúde do Estado no combate a Covid-19 em Rondônia, com a possibilidade aventada pelo secretário Máximo de receber, também,  doentes vindos do vizinho estado de Amazonas,cujo sistema entrou em colapso.

O Prontocordis  pertence ao conhecido médico e político José Augusto de Oliveira e o Governo deverá convocar coletiva para explicar quais os critérios de escolha do Prontocordis, bem como os meandros dessa negociação.

O MP deve se posicionar sobre o assunto nas próximas horas.

CLIQUE AQUI E CONFIRA A HOMOLOGAÇÃO 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA