RO tem PVH como rota de exportação

portoDados fornecidos pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) apontam que o setor portuário brasileiro movimentou 1,086 bilhão de toneladas em 2017. Somente o porto público de Porto Velho transportou 2,5 milhões de toneladas, cujo número representa um crescimento de 2,3% se comparado a 2016, sem contar os números de outros 17 portos de iniciativas privadas da capital. A administração do porto público de Porto Velho garante que a capital rondoniense é uma rota de exportação que funciona como porta de entrada e saída para todos os continentes, principalmente para os mercados asiáticos, europeus e de forte influência no comércio andino. O grupo de mercadorias mais exportadas é de graneis sólidos, mais especificamente soja e milho. “Nosso clima e solo oferecem essa condição, aliados aos rondonienses e aqueles que vieram para Rondônia na intenção de produzir, de se tornarem grandes, esses são os responsáveis por transformarem Rondônia num Estado forte. A cada ano as riquezas de Rondônia para exportação se tornam mais competitivas”, explicou Leudo Buriti, diretor-presidente do porto de Porto Velho.

De acordo com Leudo Buriti, o projeto para 2018 é deixar o porto da capital bem moderno para atender melhor às demandas. Nesse processo de modernização duas rampas que estavam em serviço há mais de 25 anos foram substituídas. O porto público de Porto Velho funciona há aproximadamente 30 anos, com capacidade de movimentação de até 5 milhões de toneladas. A perspectiva para 2018 é de 2,7 milhões de toneladas. “Quando o produtor exporta por Porto Velho ele encurta a distância do seu produto, ou seja, utilizar portos do Chile, Peru e do Sul do País significa dizer que quem está exportando entrega seu produto com pelo menos 30 ou 35 dias a mais que aqueles produtos que saem de Porto Velho”, complementa Buriti.

 

Fonte: Diário da Amazônia

Deixe o seu comentário