Rondônia consolida programas inovadores

FaperoCriada pela Lei nº 2.528, de 25 de julho de 2011, a Fundação Rondônia de Amparo ao Desenvolvimento das Ações Científicas e Tecnológicas e à Pesquisa do Estado de Rondônia (Fapero) comemora os seis anos com a consolidação dos programas voltados ao desenvolvimento da ciência, pesquisa, tecnologia e inovação. Um compromisso assumido pelo governador Confúcio Moura que começou a ser discutido ainda em 2011, nos primeiros meses de sua primeira gestão, quando se reuniu com pesquisadores de várias instituições do Estado. O objetivo era colocar Rondônia no centro da produção científica nacional e internacional, fato que já foi concretizado, conforme o presidente da Fapero, Elder Oliveira, considerando o aumento do número de inscritos a cada programa lançado.

Elder Oliveira explicou que são muitas as dificuldades, a começar pelo recebimento de investimentos federais, mas com a determinação do governador a implantação da Fapero tornou-se possível para a utilização da ciência e tecnologia na solução de problemas econômicos e sociais que afetam o desenvolvimento sustentável da economia rondoniense, que tem como principais atividades a agricultura, a pecuária, a indústria alimentícia e o extrativismo vegetal e mineral. “Trabalhamos com dois eixos: formação em alto nível superior [Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado], fomentando também a educação básica; e a tecnologia, identificando os potenciais e problemas da piscicultura e pecuária, por exemplo, e de todo o sistema produtivo de base, em que Rondônia se destaca com a agricultura familiar”, disse.

Recursos de quase R$ 40 mi

De acordo com o presidente da Fapero, Elder Oliveira, nesses seis anos foram lançados 15 programas científicos e tecnológicos que estão em execução e finalização, e outros cinco serão lançados até o fim do ano, quando o investimento somará quase R$ 40 milhões.

Ele citou como exemplo de programa em execução, o Pró-Rondônia, que visa garantir o fortalecimento da pesquisa e ciência com bolsas e financiamento do trabalho em campo. “Há outros 12 programas a ser lançados até o fim do primeiro semestre de 2018), enfatizou Elder Oliveira.

 

Fonte: Assessoria

Deixe o seu comentário