RONDÔNIA ENTRA PARA O ROL DOS ESTADOS CRIADORES DA RAÇA GIROLANDO

escritorio girolandoNeste sábado, 01, Rondônia entrou para o rol dos estados criadores da raça Girolando. O dia de campo promovido pela Associação Brasileira de Criadores da Raça Girolando (Girolando), Associação de Assistência Técnica e Extensão Rural do estado de Rondônia ( Emater) e Grupo Gilberto Miranda, aconteceu na Agropecuária Gima, no município de Ariquemes, cerca de 200 quilômetros de Porto Velho.

Durante a solenidade de abertura do dia de campo, o presidente da Girolando, Jônadan Hsuan Min MA, destacou a potencialidade do estado e sua vocação leiteira. ” Rondônia tem dimensões nacionais na produção de leite. Mas continua com uma produtividade baixa, com a associações os produtores da raça girolando poderam contar com técnicos e criadores com genética selecionada da raça. Alinhando esta ação privada com outras ações governamentais em cinco anos estaremos entre os sete melhores do pais”.

“O dia de campo, acredito que tem que ser um lugar de troca de conhecimento, é uma forma de aprender e elevar o conhecimento do produtor rural. Aqui temos especialistas palestrando e levando o conhecimento que o produto precisa para começar a mudar a sua visão do agronegócio do leite no estado. Com o Jônadan aqui os criadores da Raça Girolando recebem um incentivo a mais para continuar investindo”, comentou Gilberto Mirando.

“O Governo do Estado vem trazendo para a atividade leiteira diversas ferramentas para que o produtor aumente sua produtividade. Nos últimos anos aumentamos nossa produção, mas temos que crescer mais. Com a inclusão de genética, gestão, manejo de pastagens e tecnologias de produção com certeza iremos ter destaques na produção nacional”. apontou Evandro Padovani, secretario de Estado da Agricultura, Pecuária, Desenvolvimento e Regularização Fundiária (Seagri).

Fatos Históricos

Dizem os criadores mais antigos que o gado Girolando surgiu por volta das décadas de 1940 e 1950, no Vale do Paraíba, estado de São Paulo, quando um touro da raça Gir invadiu uma pastagem vizinha e cobriu algumas vacas da raça Holandesa, a qual predominava nos rebanhos daquela região. Ao nascerem os produtos desse cruzamento, os criadores observaram que eram animais totalmente diferentes do que os animais tradicionais daquela época. Com o tempo esses animais foram demonstrando várias características interessantes, como a rusticidade, a precocidade e principalmente a produção de leite.

O sucesso desse cruzamento era tão grande que os criadores passaram a realizá-lo com mais frequência, porém de forma desordenada. A prática foi difundida para outras regiões e bacias leiteiras do Brasil, acelerando cada vez mais com o passar dos anos, ganhando também a admiração de criadores de outras raças, produtores de leite e pesquisadores, que começaram a desenvolver técnicas e selecionar os melhores animais visando melhorar o desempenho zootécnico do cruzamento, que na época já era considerado muito satisfatório.

Podemos considerar que ambas as raças mães (Gir e Holandês), contribuíram muito para o sucesso e formação do Girolando. O gado Gir, com toda sua capacidade de adaptação e rusticidade, e, o gado Holandês, com todos os seus anos de seleção voltados para a produção de leite. Mais informações sobre a raça no link: Raça Girolando.

Fonte: decom/gov-ro

Deixe o seu comentário