Rondônia tem 7 municípios em risco de dengue, zika e chikungunya e mais 30 em alerta

dengueTrinta e sete municípios de Rondônia, incluindo Porto Velho, apareceram no mapa de alerta e risco de surto de dengue, zika e chikungunya, do Ministério da Saúde. Segundo o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), apresentado nesta semana pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, Porto Velho está entre as nove capitais que estão em alerta.

De acordo com os dados, os municípios de Cabixi, Campo Novo de Rondônia, Cujubim, Espigão D’Oeste, Itapuã do Oeste, Vilhena e Theobroma apresentaram altos índices de larvas do mosquito, integrando o grupo dos 357 municípios brasileiros que estão em situação de risco de surto de dengue, zika e chikungunya.

Durante a apresentação do LIRAa, o ministro da Saúde lançou uma campanha de combate ao mosquito e falou da importância de uma ação conjunta com estados e municípios para o desafio do combate ao Aedes.

Além das cidades em situação de risco, o LIRAa identificou 1.139 municípios em alerta, com índice de infestação de mosquitos nos imóveis entre 1% a 3,9% e 2.450 municípios com índices satisfatórios, com menos de 1% das residências com larvas do mosquito em recipientes com água parada.

panorama-dos-estados-da-regiao-norteEntre as 17 capitais que o Ministério da Saúde recebeu informações sobre o LIRAa, estão com índices satisfatórios os municípios de Macapá (AP), Fortaleza (CE), Goiânia (GO), Belo Horizonte (MG), João Pessoa (PB), Teresina (PI), Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ) e Palmas (TO).

As capitais com índices em estado de alerta, são: Maceió (AL), Manaus (AM), Salvador (BA), Vitória (ES), Recife (PE), Natal (RN), Porto Velho (RO), Aracajú (SE) e São Luis (MA). As capitais Belém (PA), Boa Vista (RR), Porto Alegre (RS), Florianópolis (SC), São Paulo (SP), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT), Brasília (DF) e Rio Branco (AC) não informaram os dados ao Ministério da Saúde.

CAMPANHA PUBLICITÁRIA

A nova campanha do Ministério da Saúde de conscientização para o combate ao mosquito Aedes aegypti chama atenção da população para os riscos das doenças transmitidas pelo vetor (dengue, zika e chikungunya) e convoca a todos ao seu enfrentamento. O objetivo, segundo o MS, é mostrar que o combate à proliferação do mosquito começa dentro da própria casa, sendo responsabilidade de cada um, podendo gerar mudança positiva na vizinhança. O material alerta: “Um mosquito pode prejudicar uma vida. E o combate começa por você. Faça sua parte e converse com seu vizinho”.

A campanha começa a ser exibida ainda nesta terça-feira (28) e será veiculada na TV, rádio, internet e redes sociais. Também está previsto o dia D de mobilização contra o mosquito, que ocorrerá no dia 8 de dezembro.

Fonte: G1

Deixe o seu comentário