‘Saúde de Rua’ integra lazer, cuidados com a saúde e serviço em Porto Velho

saude de ruaO projeto Saúde de Rua, realizado pelo quarto ano consecutivo pela Rede Amazônica Rondônia, levou diversos atendimentos sociais e de saúde aos moradores de Porto Velho.

O evento, realizado na tarde deste sábado (24) no Espaço Alternativo, registrou mais de 3 mil atendimentos nas áreas de saúde, estética e beleza.

“Ano passado tivemos um número semelhante de atendimentos. A população está respondendo bem às iniciativas voltadas ao bem-estar e ao cuidado com a saúde”, explica a analista de marketing da Rede Amazônica, Diana Abichabki.

Segundo ela, foram três meses de organização até a realização do evento, que conta com mais de 30 parceiros, entre eles, clínico geral, fisioterapeuta, psicólogos, nutricionistas, técnicos de enfermagem, professores de educação física e pilates e outros.

“Estamos oferecendo ainda corte de cabelo, limpeza de pele, depilação, recreação infantil, doação de ração para quem tem Pet e exame para aferição da necessidade de óculos”, acrescenta Abichabki.

A iniciativa também foi elogiada por quem aproveitou dos serviços. “É um projeto muito válido, os organizadores estão de parabéns”, agradece o funcionário público Edmilson Rodrigues, que aproveitou a tarde para receber os cuidados do cabeleireiro Josué Dias Garcias. “Cumpro uma função social, fico feliz por fazer o bem às pessoas”, justifica o profissional ao falar da voluntariedade no serviço.

“É gratificante ver tanta gente sendo atendida em um evento que a gente organizou com tanto esforço e carinho. É a Rede Amazônica dando sua contrapartida à sociedade, com apoio dos parceiros, lógico”, comenta o vice-diretor de afiliadas da Rede Amazônica, Ricardo Mendes.

O pedreiro Francisco Falcão, que também foi atendido com corte de cabelo, elogiou o projeto e destacou a participação do cabeleireiro Gilberto Melo, outro profissional que se doou no decorrer das atividades do Saúde de Rua. “É cansativo, mas me sinto realizado”, diz Gilberto Melo, que prefere ser classificado como barbeiro. “Sou do tempo antigo, não dos salões, mas das barbearias”, brinca.

Como se trata de serviço social, a Associação Amigos de Patas também participou do evento, disponibilizando três cães e seis gatos para adoção. “Nós resgatamos os animais das ruas, cuidamos deles e, em seguida, colocamos para adoção”, explica Cleonice Paes de Oliveira, uma das diretoras do projeto.

Depois da adoção, a associação passa a monitorar o cuidado do novo dono com o animal. “Tivemos casos de maus tratos, então, há todo um critério para entregar o animal à adoção”, salienta.

saude de rua 1
saude de rua 2onte: G1

Deixe o seu comentário