Selo atesta qualidade de produtos da agroindùstria de Ji-Paraná, RO

ProdutosNa propriedade rural da dona Adélia de Abreu, quando o assunto é doce, nada se perde tudo pode ser aproveitado. Açaí, pitomba, cupuaçu, acerola, banana tudo vai para o taxo e além de se tornarem deliciosos doces, também são fonte de renda e sustento da família. Agora, depois de décadas trabalhando na área a Tia Adélia, como é conhecida, inaugurou a própria agroindústria, em Ji-Paraná, região central de Rondônia.

Há quase 20 anos produzindo docinhos de diversos sabores, ela contou que os docinhos, que para muita gente era apenas uma guloseima, para ela e a família dele foi o que possibilitou a formação das duas filhas. “Foi daqui que eu consegui colocar minhas duas filhas em uma escola. Hoje, depois de grandes, quando precisam de alguma ajuda é dos docinhos que a gente consegue tirar”, explicou.

Quase tudo que é necessário para a produção dos doces, nasce dentro do sítio de Adélia, que fica há cerca de 15 quilômetros da cidade. “Eu colho tudo aqui. Todas as frutas que nascem aqui, eu aproveito para fazer alguma receita. Nada é desperdiçado. Colho e armazeno no freezer e tenho frutas para o ano todo. As únicas coisas que preciso comprar é o leite e o açúcar”, explicou.

A produção mensal é de quase 150 quilos de doce e, em 2016, o negócio que já era levado a sério pela família, saiu da cozinha da dona Adélia e ganhou sede própria, tornando-se uma agroindústria. Além disso, também recebeu certificado definitivo de cadastro, que garante a qualidade dos alimentos. Dessa forma, os produtos que eram vendidos de porta em porta, também poderão ser comercializados em mercados e feiras.

Fonte: G1

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA