SEMSAU intensifica ação contra malária em Candeias do Jamari

Agentes devem visitar 1.548 imóveis na área de maior registro da doença em 2014

semsauAté o dia 4 de abril, a Secretaria Municipal de Saúde de Candeias do Jamari vai intensificar as ações de controle da malária nos bairros Satélite, União, Palheiral e Santa Letícia. Os agentes de controle da endemia estão passando de casa em casa, e quando necessário vão fazer a coleta de sangue para exames laboratoriais para fins de diagnóstico. Ao todo, devem ser visitados aproximadamente 1.548 imóveis.

Após várias reuniões, palestras e capacitações, em parceria com a AGEVISA, a operação Força Tarefa ganhou força para o combate à doença, com base no mapa da cidade, um dos principais temas de um evento que reúne técnicos da área da saúde da Prefeitura de Candeias do Jamari e do Estado de Rondônia. De acordo com a coordenadora do programa, bióloga Joana Martins de Sena, em 2014, Candeias do Jamari foi o segundo município em número de casos no estado de Rondônia, sendo o que registrou o maior aumento de casos de malária pelo Plasmodium falciparum em comparação com o ano de 2013. Aproximadamente 60% dos casos ocorrem na zona urbana, onde houve um óbito por malária no mês de agosto passado.

De acordo com o prefeito municipal Francisco Sobreira de Soares (Careca), que apoia a operação, o objetivo é que o índice da malária seja reduzido em 50% com relação ao ano passado, com o planejamento controle vetorial contra a malária, por meio da força tarefa entre a SEMSAU e AGEVISA.

O secretário municipal de Saúde, Heráclio Rodrigues Serra Filho ressalta que um dos principais objetivos da operação é reduzir a infestação do vetor e risco de transmissão de novos casos e conter o aumento de casos de malária. “Serão realizadas as ações de controle vetorial por meio da Borrifação Residual Intradomiciliar (BRI) e termonebulização FOG (fumacê), visando bloquear a transmissão”, enfatiza o secretário.

“Nossa grande dificuldade é que o paciente da malária faça o tratamento completo até o final. Em alguns casos, a febre e outros sintomas desaparecem com dois dias de medicação, e o paciente acha que já está curado”, explica Joana, informando que nos primeiros 60 dias deste ano já foram registrados 169 casos de malária sendo 31 (18,3%) de falciparum, sendo necessário solicitar o apoio da AGEVISA, que não mediu esforços em firmar a parceria com a administração União e Trabalho que também está comprometida em reduzir os casos de malária.

Fonte: Alerta Rondônia

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA