Superintendente visita estádio em Ji

Superintendente visita estádio em Ji

biancaoO superintendente Estadual de Cultura Esporte e Lazer – Secel, professor Rudnei Antônio Paes, visitou na quarta-feira o Estádio Desportivo Municipal, o Biancão, em Ji-Paraná. Empossado no cargo no final do mês passado Rudnei está visitando as instalações da Secel no Estado para conhecer a situação de cada uma das praças esportivas e pontos de cultura.

A visita foi acompanhada pelo administrador do Biancão, Romão Moreno Filho, pela secretária Municipal de Esportes e Turismo, Seloi Toti e pela presidente da Fundação Cultural, Keila Barbosa. O superintendente recebeu dos engenheiros do Deosp um orçamento no valor de R$ 1,2 mi para reformas paliativas no estádio de Ji-Paraná.

A praça esportiva está interditada desde junho do ano passado, e já estão em conta R$ 700 mil para as reformas apontadas pelo Ministério Público, e o projeto está em fase de licitação para o início das obras. Para ampliar o estádio com caixas de salto, construção de uma quadra, pista de atletismo emborrachada, e arquibancada no lado oposto à existente serão necessários investimentos superior a R$ 3 mi, e neste momento não há recursos para estas obras. O superintendente disse que não vai medir esforços para tentar a liberação do estádio pelo menos para o segundo turno do Campeonato Estadual.
Recentemente, conta Rudnei Antônio Paes, foram liberados junto ao Corpo de Bombeiros os Estádios Cassolão, em Rolim de Moura e o Aloísio Ferreira, na capital. O primeiro deve ser utilizado pelo União Cacoalense que enfrenta problemas para liberação do Aglair Tonelli, em Cacoal, e o estádio da capital seria a garantia de participação do Genus no certame deste ano.

Rudnei e a equipe técnica da Secel permanecem em Cacoal até esta sexta-feira onde participam da palestra ‘Construindo um Sistema’, ministrada por Ilmar Esteves e vai falar sobre a importância da ação do profissional de educação física e o quanto é necessário a sua inserção em projetos. A palestra será no auditório da Facimed, em Cacoal.

Fonte: Diário da Amazônia

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA