Tcharles vira herói na vantagem do Genus

GenusCom um futebol prático, envolvente e objetivo o Genus mostrou na última quarta-feira, no estádio municipal Aluízio Ferreira, o Aluizão, que está atravessando excelente fase para derrotar por 2×0, com gols de Tcharles a equipe da Agremiação Sportiva Arapiraquense, mais conhecida ASA de Arapiraca ou simplesmente ASA, é um clube brasileiro de futebol sediado na cidade de Arapiraca (Alagoas) para o jogo de volta no próximo dia 28, às 20h30 (de Rondônia), em Arapiraca-AL.

Quem foi ao estádio Aluízio Ferreira com a intenção de assistir um jogo equilibrado e intenso de boa qualidade técnica se enganou, mas em compensação viu o time da casa, o Genus, envolver totalmente o time Alagoas com muita objetividade e com muita qualidade técnica. A vitória anima o time de Porto Velho para dar continuidade a sua campanha no próximo sábado quando vai à cidade de Ariquemes enfrentar o time de casa o Ariquemes, no estádio municipal Gentil Valério de Lima, o Valerião, às 19h, o Ariquemes ocupa a 4ª colocação na tabela do Rondoniense. Por outro lado o Genus está liderando com 12 pontos, um a mais e deu vistas que tem potencial técnico para deslanchar mais ainda.

Na partida da última quarta-feira o técnico do Genus, professor Claudemir Pontin mostrou a sua visão do jogo e tirou proveito das falhas constantes do time alagoano, fazendo orientações na beira do campo, ou promovendo mudanças táticas onde observasse falhas dos adversários, que por sinal foram muitas. Mesmo com uma leve reação no segundo tempo o time do ASA não assustou o time rondoniense, que manteve o seu jogo “tipo feijão com arroz”, ou seja, muito prático e objetivo.

O técnico do Genus professor Claudemir Pontin disse após a partida que o Genus está em fase ascendente e deve produzir muito mais até o fim da temporada esportiva de 2016. “Eu esperava muito mais do ASA-AL por sua tradição no futebol de Alagoas, mas devo reconhecer também que o Genus está virando um gigante no futebol de Rondônia, está maduro, confiante e determinante”, avaliou o professor Pontin.

Fonte: Diário da Amazônia

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA