Unicef realiza capacitação de políticas sociais na Amazônia

criancasMANAUS – Com o objetivo de melhorar as políticas socias para crianças e adolescentes, acontece nesta terça-feira e quarta-feira (24 e 25), em Manaus, o II Ciclo de Capacitação do Selo Unicef Município Aprovado Edição 2013 – 2016. O selo, criado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), é um espaço público de diagnóstico e monitoramento dessas políticas com a participação direta dos municípios. Rondônia e Amapá também recebem o ciclo de formação nestes dias.

No Amazonas, 43 municípios participam do ciclo, que forma articuladores, gestores e técnicos municipais para darem continuidade ao processo de implementação do selo. O encontro acontece no Auditório Paulo freire, da Escola do Legislativo, na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALEAM) – na Avenida Mário Ypiranga Monteiro, nº 3.950.

Segundo a representante da Unicef no Pará, Ida Pietricovsky de Oliveira, de 610 municípios que aderiram a iniciativa no país, 462 representam os nove estados da Amazônia Legal: Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima, Mato Grosso, Tocantins e Maranhão. O primeiro ciclo, no início de 2014, discutiu a metodologia aplicada pelo Selo, seus indicadores e o plano de ação.

“Esta é a etapa que a gente vai apresentar como que os municípios vão realizar a participação social, envolvendo o município de uma forma geral. Mas também vamos discutir mais uma etapa do planejamento de políticas públicas, de maneira à produzirem impactos positivos reais e concretos na vida de cada criança e adolescente”, explicou ao Portal Amazônia.

Selo Unicef Município Aprovado 

Por definição da Unicef: “O Selo é a contribuição do UNICEF para a Agenda Criança Amazônia, compromisso firmado pelos governadores estaduais pela garantia dos direitos de todas as crianças e adolescentes na Amazônia Legal, por meio da construção conjunta de um plano de ação que vise à integração, articulação e cooperação em políticas públicas entre os três níveis de governo, o empresariado e a sociedade civil”.

“O selo é baseado em três eixos importantes: um é o de impacto, indicadores com os quais vamos monitorar – até 2016 – se os municípios estão ou não realizando melhorias na vida de crianças e adolescentes. O segundo é o de gestão, para saber se o município oferece políticas públicas que subsidiem esse processo. E o terceiro é o de participação social, com duas formas de participação importantes e obrigatórias, que são a realização de um fórum no início do processo e um segundo fórum no final do processo”, explicou Ida Oliveira.

O objetivo do segundo ciclo é orientar os representantes dos municípios a promoverem atividades temáticas. São quatro temas: Semana do Bebê (para melhorar os indicadores da primeira infância, entre 0 e 6 anos); Cultura e identidade étnico-racial (discussão sobre o racismo e suas consequências); Esporte para o ser em movimento (relação direta no desenvolvimento social com apoio do esporte); Mudança climáticas (produção de um diagnóstico participativo de áreas de risco no município).

“O resultado da primeira edição foi surpreendente referente à comparação que fizemos entre os municípios participantes e os não participantes do Selo. As diferenças foram imensas do ponto de vista dos impactos sociais. Primeiro pela vontade política e depois pelo engajamento das mais diferentes entidades.Uma vez que você melhora isso, acaba tendo impactos reais sobre os indicadores sociais [por exemplo, mortalidade infantil]”, comentou a representante da Unicef.

O ciclo de formações foi realizado na última semana no Maranhão e entre os dias 8 de abril e 7 de maio, Pará, Acre e Mato Grosso também receberão o Fórum. A expectativa é que pelo menos 20% dos municípios que participam do processo obtenham o selo. “A gente espera que mesmo os municípios que não ganhem o selo, produzam impactos reais e positivos nas vidas das crianças”, afirmou.

Fonte: Portal Amazônia

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA