Vice-prefeito de Vilhena anuncia pré-candidatura

jacierO vice-prefeito do município de Vilhena, Jacier Dias (PSC) sempre teve autonomia e nunca ficou à sombra do seu colega de mandato, o prefeito Zé Rover (PP). Jacier já apoiou candidatura de pessoas que não faziam parte do grupo ao qual pertence atualmente, lançou-se candidato a vários cargos, deixando o próprio prefeito em situação desconfortável com outros aliados políticos, e na manhã de ontem, confirmou à equipe de reportagem do Diário da Amazônia sua pré-candidatura a prefeito, colocando em risco a composição do atual grupo que é maioria na política local, e até mesmo os projetos de Rover.

Jacier Dias contou que sua atuação política sempre foi independente, e que não apoia projetos de Rover sem ser consultado, e até mesmo conversado com antecedência como, por exemplo, as pré-candidaturas de outros atuais aliados do prefeito (Gustavo Valmórbida – ainda sem partido – e José Carlos Arrigo, do PP).

O vice-prefeito confirma que sua relação com o prefeito de Vilhena é tranquila, e que suas decisões são tomadas sempre com o aval do grupo ao qual pertence. “O Rover é livre pra fazer o que ele bem entender, e nós não vamos brigar por causa disso. Eu até posso permanecer no grupo atual, desde que seja conversado, e muito bem articulado, do contrário continuo caminhando com as minhas próprias pernas”, explica o vice-prefeito ao justificar a decisão de se tornar aspirante à cadeira número um do Executivo vilhenense.

Dias, que é uma das principais lideranças do PSC no Cone Sul de Rondônia, contou que após o carnaval os correligionários irão começar a se reunir para discutir a posição do partido para as próximas eleições. “O PSC tem grandes nomes, e sempre conquistou resultado positivo nas eleições. Caso os colegas de legenda optem por outro nome abro mão tranquilamente. Tudo precisa ser decidido com o aval da maioria”, relatou.

Perguntado sobre a legalidade da sua pré-candidatura, tendo em vista o fato de que Jacier está em uma reeleição, o vice-prefeito explica que sua assessoria jurídica lhe garantiu que ele pode ser candidato a prefeito, pois nos dois mandatos que tem nunca chegou a assumir efetivamente a prefeitura. “O que eu não posso é ser candidato a vice”, explica.

Fonte: Diário da Amazônia

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA