​A alta dos combustíveis e seu reflexo na venda de veículos automotores

motosPorto Velho, Rondônia: As recentes, seguidas e expressivas altas nos preços dos combustíveis aliadas à insegurança causada pela recente instabilidade econômica enfrentada pelo país tem feito com o que o consumidor se distancie, ao menos momentaneamente, do sonho do carro zero quilômetro. Segundo a Federação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, as vendas acumulam queda de 17,02% no primeiro trimestre de 2015 ante igual período de 2014.

Em contraponto, também é possível observar um movimento cada vez maior na busca pela compra de motos zero quilômetro. Segundo a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas e Similares houve um aumento de quase 2% nas vendas no mesmo período.

O fenômeno deve-se fundamentalmente ao menor valor de aquisição das motos frente aos carros, o que passa ao consumidor uma confiança maior ao dispender de menos capital para a aquisição de um veículo novo e que lhe dará a tão sonhada mobilidade. Para se ter ideia, há motos no mercado que podem ser adquiridas na casa dos R$ 4.000,00, o que representa apenas cerca de 15% do valor do carro zero quilômetro mais barato do mercado.

Não menos importante neste processo, é o consumo de combustível na comparação entre carros e motos, uma vez que há motos que chegam a fazer até 70 quilômetros com um único litro de combustível. Tal característica tem feito inclusive que consumidores que já possuem carros optem pela aquisição de mais um veículo e busquem pela compra de uma moto nova. Segundo muitos deles, o que se economiza com combustível equivale ao valor da parcela da moto adquirida. O aposentado José Augusto dos Santos fez as contas e optou por deixar o carro 2.0 na garagem e comprar uma moto para os deslocamentos do dia a dia “pretendo economizar quase R$ 300,00 por mês!”.

O aumento nas vendas de motos zero quilômetro foi registrado em todas as concessionárias visitadas, mas em especial nas lojas que vendem modelos de baixas cilindradas, mais econômicos e acessíveis.

Segundo os proprietários da Concessionária Traxx de Porto Velho, que tem foco justamente nestes modelos de veículos, a busca crescente pelos mesmos é visível. “Nossas vendas aumentaram muito após a sequência de altas no preço dos combustíveis. O consumidor não é bobo e sabe valorizar seu dinheiro, buscando modelos econômicos, acessíveis e duráveis” – Diz Alessandro Macedo, um dos proprietários, que destaca ainda a característica das motos da marca possuírem dois anos de garantia.

Adailton Barbosa, o outro proprietário da concessionária lembra ainda que “Além de serem veículos com baixíssimo consumo de combustível, as motos tem parcelas que cabem no orçamento de praticamente qualquer pessoa, podendo substituir com baixo custo e muita comodidade o transporte coletivo”.

De fato, na loja é possível encontrar modelos com parcelas a partir de R$ 85,64 na modalidade de consórcio e de R$ 150,01 na modalidade de financiamento. O casal Ana Maria e Wellington, ela diarista e ele pedreiro, que estavam na concessionária e que buscavam por seu primeiro veículo confirmam que “Os preços estão muito bons e vamos fechar negócio, pois as parcelas cabem no nosso bolso”.

O cozinheiro Antônio Dias, que trabalha no Porto Velho Shopping e que estava fechando negócio em um modelo de 50 cilindradas destaca que “Espero economizar mais de R$ 100,00 no meu orçamento mensal, além de ganhar tempo nos deslocamentos diários”.

Só resta agora, saber se trata-se de algo transitório, e em breve as vendas de ambos os setores voltarão aos patamares anteriores, ou se tal comportamento será definitivamente adotado pelo consumidor brasileiro, cada vez mais antenado e consciente das questões relacionadas à economicidade e sustentabilidade. Nos grandes centros do mundo esta resposta já foi dada, e as motos efetivamente vieram para ficar, ocupando cada vez mais espaço na rotina cotidiana das pessoas.

Fonte: Rondonoticias

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA