Agentes Penitenciários prendem visitante tentando entrar no Presídio Agenor com 18 aparelhos celulares e 27 Chip’s


celularesCom o fim da revista íntima em Presídios, visitantes, na maioria dos casos, mulheres, aproveitam esta fragilidade para entrar no sistema prisional com celulares, dinheiro e até mesmo drogas. Lá dentro, estes objetos ilícitos valem muito dinheiro e acabam enriquecendo os chefões dos pavilhões. Em meio a esta “brecha” e sem contar com o aparelho de Raio-X, os Agentes Penitenciários temem a própria vida, pois além de trabalhar em um local totalmente insalubre, ficam à mercê da sorte, pois não se sabe o que está entrando pelos portões do Presídio.

Neste sábado, dia 16, a funcionária pública da saúde, identificada como Edna Nunes Cristovaldo Silva, foi visitar um irmão que está cumprindo pena no Pavilhão “B”, que foi queimando recentemente pelos detentos. Na fila, os Agentes Penitenciários suspeitaram da mulher e ao passar pelo detector de metal portátil foi constatado que levava algum metal em suas partes íntimas. Diante da situação, Edna foi levada ao banheiro e foi submetida a uma revista mais minuciosa por Agentes Femininas. No meio das pernas, as agentes encontraram 18 aparelhos de celular e um display “Touch Screem”, enrolados em uma fita adesiva e colados a um short que usava por debaixo do vestido.

Diante do flagrante, Edna Nunes confessou que além dos celulares, também estava levando 27 chip’s e R$ 450,0 escondidos em suas partes íntimas. De imediato, a visitante foi conduzida ao HM para a retirada dos objetos.

Edna Nunes falou aos agentes que foi contratada por um detento desconhecido e que receberia a quantia de R$ 4 mil reais pelo transporte.

Fonte: Comando190.com.br/FLS

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA