Alex Murbach fala de sua atuação à frente da Associação de Moradores do Jardim Itália

O presidente da Associação de Moradores do Bairro Jardim Itália, Alexsandro Murbach, em contato com a nossa reportagem falou de seu trabalho à frente daquela entidade, destacando dois projetos que ele apresentou à classe política em busca de melhorias para a comunidade. Um desses projetos, conta ele, foi o apresentado ao deputado Cirone Deiró, em que ele pede uma galeria para a rua Anel Viário e o outro, apresentado recentemente à deputada federal Jaqueline Cassol.

Alexsandro Murbach destacou que pretende continuar defendendo a valorização do bairro e não hesitará em cobrar melhorias àqueles que detém um mandato político e que podem direcionar emendas e recursos para a nossa população. Ele conta que a situação de um presidente de bairro não é fácil e afirmou que muitas vezes ele tem de deixar assuntos pessoais para depois, dedicando-se primeiramente aos interesses da comunidade. “Faço um trabalho voluntário, exercendo muitas vezes o papel que seria de um vereador ao buscar melhorias para o bairro que representamos junto ao poder público. A diferença entre nós e os vereadores é que eles recebem para trabalhar, enquanto nosso trabalho é todo voluntário”, enfatiza.

O líder comunitário, contudo, afirma que se sente bem quando se dedica a enfrentar as lutas nas quais acredita e por isso vai continuar buscando novos projetos para o seu bairro. Ele diz que é importante a mobilização da associação e da comunidade, pois embora muitos critiquem a política, é através dela que se busca o equacionamento dos problemas com a definição de prioridades para a comunidade. “Lamentavelmente a população tem razão em estar desgostosa com a classe política, pois muitos deles só pensam em si mesmos. Mas não me cansarei de cobrar junto aos poderes públicos uma atuação em favor da população. Devemos sempre estar insatisfeitos com a falta de dignidade humana, com a discriminação em todos seus tipos, com a centralização do poder financeiro em uma minoria, ou seja, lutar sempre por um mundo melhor, por uma sociedade melhor, por um futuro melhor para nossos netos, bisnetos. A cada dia, cada um fazendo a sua parte, quem sabe num futuro próximo teremos o orgulho de conhecer uma sociedade igualitária em todos os seus aspectos, mas, isso só será possível se cada um de nós descruzarmos os braços, sairmos do comodismo e, sem medo, defendermos o real valor de cada ser humano”, concluiu.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA