segunda-feira, setembro 20, 2021

Aos 104 anos, Armando é uma alegre testemunha da história de Porto Velho

Ex-ferroviário começou a trabalhar na ferrovia Madeira Mamoré em 1949

PORTO VELHO – Aos 104 anos, o ex-ferroviário Armando Ribeiro de Oliveira testemunhou grande parte da história de Porto Velho, cidade que ele escolheu para trabalhar e constituir família. “É um homem honrado, um referencial de luta e trabalho que precisamos reconhecer”, defende Altair Santos, o Tatá, diretor de Patrimônio Cultural da Fundação Cultural de Porto Velho (Funcultural).

Ex-ferroviário testemunhou grande parte da história de Porto Velho

Armando nasceu na Bahia e chegou a Porto Velho quando o município pertencia ao estado do Amazonas. Trabalhou na Estrada de Ferro Madeira Mamoré, depois de ter laborado como soldado da borracha nos seringais da região.

Na ferrovia ocupou diversas funções e inscreveu seu nome num dos episódios mais importantes da história regional. Nos galpões trabalhou na carpintaria, ferragem e fundição. “Entrei como ajudante e saí como mestre de oficina”, diz com orgulho.

Mesmo aos 104 anos se mantém lúcido e animado. Caminha até a padaria que fica perto de sua casa para comprar pães quentinhos.

Na memória do ex-ferroviário estão as lembranças do tempo em que a cidade era formada apenas por ruas empoeiradas. “A maioria das casas era feita de madeira e coberta de palhas. Cobertura com telhas só havia nas casas do bairro Caiari”, recorda.

Para ele a receita da longevidade é estar sempre em atividade

A receita da longevidade ele conta para qualquer um: estar sempre em atividade e andando de bicicleta. “Me sinto um homem realizado e feliz. Amo meus filhos, netos e bisnetos”, afirma. Viúvo duas vezes e pai de três filhos, Armando tem sete netos e três bisnetos.

Para a filha caçula, a enfermeira Marinice Campelo Monteiro, Armando é um exemplo de vida, homem batalhador, alegre, de muita confiança em Deus e sempre atento aos assuntos da atualidade.

“O projeto mais recente dele é a construção de uma horta suspensa. Já fez as bases e o caixote. Agora só faltam a terra e as sementes”, conta

O diretor da Funcultural diz que, por tudo o que fez, é justo que o poder público reconheça Armando como cidadão que tem um histórico grandioso e uma longevidade exemplar. “Que isto seja registrado para a posteridade, para que todos saibam que este cidadão, de forma honrada e honesta fez parte do crescimento do desenvolvimento da nossa cidade”, pontuou.

 

Texto: Augusto Soares
Foto: Leandro Morais

 

 

 

 

 

Fonte: Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

Publicação anterior

Advertisment

Outras notícias

CDL Cacoal defende retorno de voos da Azul

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Cacoal (CDL Cacoal) une-se as demais entidades de classe, no sentido de solicitar o retorno dos voos da...

Brisa da Mata será o primeiro condomínio residencial de sobrados geminados em Cacoal

Em Cacoal, o mês de setembro de 2021 será marcado pelo lançamento de mais um grande empreendimento. Responsável por residenciais e condomínios como Vila...

Coluna Marisa Linhares 16 de setembro

EQUIPE DE VENDAS FIAT PSV Registrei na PSV CACOAL do renomado Grupo Gilberto Miranda em Rondônia, a gerente de vendas Rute Mandrick com os consultores...